menu 25-anos
facebook
publicidade
publicidade
Compartilhe

Roque de Sá/Agência Senado

Notícias

“A alteração foi agressiva”, diz advogado de Campinas sobre reforma da Previdência

Congresso finalizou aprovação do texto-base nesta quarta-feira (23)

Band Mais

15h25 - 23/10/2019

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

A aprovação do texto-base da reforma da Previdência foi concluída na manhã desta quarta-feira (23), após mais de 10 horas de discussão no Senado.

A principal medida da reforma é a fixação de uma idade mínima (65 anos para homens e 62 anos para mulheres) para a aposentadoria, extinguindo a aposentadoria por tempo de contribuição.

Para o advogado previdenciário Gustavo Paviotti, de Campinas, as alterações foram “agressivas”.

Advogado previdenciário de Campinas considera reforma “agressiva”

“No caso da aposentadoria por idade, serão considerados todos os salários de contribuição. Desse valor, todos vão pagar 60%. Os homens só ganharão 2% após completarem 20 anos de contribuição, e as mulheres após os 15 anos de contribuição. Assim, somente receberão 100% se as mulheres trabalharem por 35 anos e os homens por 40 anos”, explica Paviotti. Para comparação: hoje, os homens precisam de 35 anos de contribuição e as mulheres 30.

O advogado conta também que a fórmula 86/96, onde se somava a idade do segurado com o tempo de contribuição, será extinta. “Serão válidas agora apenas as regras da aposentadoria por idade”, afirma.

O texto também estabelece o valor da aposentadoria a partir da média de todos os salários (em vez de permitir a exclusão das 20% menores contribuições), eleva alíquotas de contribuição para quem ganha acima do teto do INSS (hoje em R$ 5.839,00) e estabelece regras de transição para os trabalhadores em atividade.

A regra de transição também é comentada por Gustavo Paviotti, que considera que o segurado terá que trabalhar 100% de tempo a mais para conseguir se aposentar como seria com a regra antiga.

“Quando as mulheres e homens possuírem 57 anos e 60 anos de idade, vão ter que trabalhar mais para chegar aos 30 anos e 35 anos de contribuição, respectivamente. Nesta regra de transição, o valor da aposentadoria será de 100% das médias de todas as contribuições”, disse.

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, afirma que a economia de R$ 800 bilhões nos próximos 10 anos foi “a possível”. “O impacto fiscal foi o que era possível. Estamos muito felizes com o resultado. E estamos a caminho das próximas reformas”, disse Guedes.

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

publicidade
publicidade
publicidade