menu 25-anos
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

Acic já contabiliza 350 empresas que fecharam durante a pandemia e que não retornarão às atividades

Adriana Flosi adiantou apenas número e prometeu detalhes como ramos de atividade, número de pessoas empregadas e onde atuam negócios após fechar levantamento

Zezé de Lima, Blog da Rose

09h00 - 04/07/2020

Atualizado há 2 meses

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

A Associação Comercial e Industrial de Campinas (Acic) já tem uma lista de 350 empresas que fecharam as suas portas e não voltarão após a pandemia. A revelação foi feita ontem por Adriana Flosi, presidente da entidade, ao jornal 90 Minutos, da Rádio Bandeirantes de Campinas, ao comentar a decisão do Estado de trazer a cidade de volta à fase vermelha do Plano São Paulo. O retrocesso, que exige fechamento rigoroso das atividades econômicas, começa a valer na próxima segunda-feira (06).

Adriana adiantou apenas o número e prometeu dar detalhes das empresas que fecharão as portas, ramos de atividade, número de pessoas empregadas e onde atuam após fechar levantamento. Segundo ela, tem-se de pensar que não são apenas negócios, mas empregos. Mais pessoas que estarão desempregadas, tanto os proprietários como os funcionários que serão demitidos.

A presidente da Acic pediu que a população entenda a gravidade do momento e se comporte de forma responsável para segurar a onda de contágio na cidade que levou a uma grande ocupação de leitos nos hospitais, obrigando o município a voltar à fase vermelha. Adriana pede que todos, indistintamente, respeitem as regras para viabilizar a retomada de forma consistente.

O que se viu na semana em que Campinas avançou para a fase laranja e reabriu o comércio, segundo ela inaceitável. O mesmo comportamento, segundo Adriana, se repetiu na primeira semana quando o fechamento voltou por determinação do prefeito Jonas Donizette (PSB), nesse caso, principalmente por causa da atuação dos camelôs, que continuaram suas atividades. Tanto eles quanto os consumidores ignoraram a doença e atuaram sem fiscalização .

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

 
publicidade
publicidade
publicidade