menu 25-anos
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Esporte

Andrés diz que Corinthians teve 75% de queda nas receitas

Presidente admite que clube pode perder atletas por causa da desvalorização do real

Esportes

12h51 - 09/07/2020

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

A crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus complicou ainda mais a situação do Corinthians. Em entrevista à CNN, o presidente Andrés Sanchez revelou que o clube teve uma queda de 75% nas receitas nos últimos meses.

“O Corinthians faturava mais ou menos R$ 40 milhões por mês e está faturando 9, 8, 10 (milhões), no máximo. Então é praticamente uma queda de 75% na arrecadação dos clubes em maio, junho e julho e vamos aguardar se em agosto voltam todos os campeonatos e volta tudo ao normal. Mas realmente está tudo um caos e se durar muito mais tempo, será uma catástrofe no futebol brasileiro nunca vista”, afirmou.

Além das dificuldades fora do campo, os clubes também podem sofrer dentro das quatro linhas. Segundo Andrés, o panorama atual tem tudo facilitar a saída de atletas para o futebol do exterior.

“Não só por causa da pandemia, mas o dólar estando a R$ 5,50, o euro a R$ 6, qualquer ‘timinho’ da Europa, com todo respeito, paga um milhão de euros por ano, que são R$ 600 mil por mês no Brasil, é óbvio que o jogador se atenta a isso, porque são seres humanos, são atletas, mas são comerciantes. Jogador é o corpo dele, mas ele vai onde tem o dinheiro, que é uma coisa mais lógica. Acho que todo ser humano pensa muito nisso, além de morar na Europa, que diga-se de passagem, em muitos países, é melhor do que morar no Brasil, infelizmente, tem muito mais condições, então óbvio que fragiliza muito mais”, destacou.

O Corinthians já vivia uma crise financeira mesmo antes da pandemia. Em 2019, o clube fechou o balanço com um déficit de R$ 177 milhões e tem dívida acumulada em R$ 665 milhões.

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

 
publicidade
publicidade
publicidade
Mais notícias