publicidade
publicidade
Compartilhe

Austrália nega pedido de Djokovic para flexibilizar quarentena

Tenista é um dos 72 atletas que entram em quadra no Australia Open

Esportes

09h18 - 19/01/2021

Atualizado há 1 mês

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O primeiro-ministro do estado de Vitória, Daniel Andrews, negou os pedidos do sérvio Novak Djokovic para um relaxamento das normas de segurança para o Australian Open.

De acordo com Andrews, que está redobrando esforços para que o torneio não cause o aumento de casos da covid-19 no país, a saúde está acima de tudo e todos.

Djokovic enviou um pedido para Craig Tiley, diretor do torneio, solicitando que todos os tenistas recebessem o mesmo tratamento em relação aos protocolos de segurança da covid-19, incluindo a diminuição do período de isolamento, melhor de três sets nas duas primeiras rodadas, equipamentos de academia nos quartos e permissão para visitas aos treinadores e preparadores físicos.

Já são 72 atletas em quarentena rígida na Austrália, após casos de covid em seus voos.

Andrews ainda declarou que “todo mundo é livre para solicitar as coisas, mas a resposta é não. As normas que se aplicam aos tenistas são iguais as normas dos demais”.

Multas e vigilância de policiais

Emma Casar, comissária de protocolos sanitários do estado de Vitória, foi mais além e destacou que os atletas serão multados e até vigiados por policiais em caso de quebras de protocolo.

“Teremos tolerância zero com qualquer infração. Reforçaremos a presença policial e não vamos permitir atitudes desafiantes. Aos que infringirem os protocolos, ainda que seja abrir a porta do hotel para conversar com outras pessoas, receberão multas severas. E, se reincidirem, colocaremos um policial na porta para vigiá-los. Não toleraremos manobras perigosas para os demais”, afirmou.

0 Comentário

publicidade
publicidade
publicidade
Mais notícias