menu
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe

foto: divulgação

Notícias

Bauru confirma novos casos de dengue

O alerta é para período de calor e chuva

Band Paulista

10h00 - 04/01/2022

Atualizado há 20 dias

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

A Secretaria Municipal de Saúde de Bauru-SP, por meio do Departamento de Saúde Coletiva, recebeu a confirmação de 14 novos casos de dengue no período de 8 de dezembro a 4 de janeiro. Todos são relativos a 2021, e desta maneira, a cidade totaliza 400 casos autóctones, três casos importados e dois óbitos pelo agravo da doença. Em 2022, não foram registrados casos até o momento.

A secretaria destaca que este é o período mais crítico do ano, com calor e chuva, o que favorece a reprodução do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika vírus, chikungunya e febre amarela. A população deve colaborar para eliminar qualquer recipiente que possa acumular água, como latas, pneus, potes e garrafas, que devem ser levados aos Ecopontos, e ainda verificar sempre os vasos de plantas, calhas, caixas d’água, ralos, e manter quintais, calçadas e terrenos limpos.

ALERTA

O último Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), realizado na cidade no mês de outubro, apresentou um índice de 2,3, o que coloca Bauru em situação de alerta para transmissão. O ideal é que o LIRAa se mantenha abaixo de 1,0.

A pesquisa identifica os bairros onde estão concentrados os focos de reprodução do mosquito transmissor da doença e permite aos municípios verificarem a porcentagem de um total de imóveis vistoriados que apresentem criadouros de larvas do mosquito, possibilitando estimar o risco de epidemia da doença e definir o método de prevenção.

Criadouros são todos os objetos passíveis de acúmulo de água seja pela falta de cuidados ou mesmo pela característica do seu uso. Durante o Levantamento, em Bauru foram visitados 8.842 imóveis em bairros de todas as regiões da cidade sendo encontrados 32.877 recipientes em condições de criadouros, 12.977 com acúmulo de água, sendo 249 positivas para Aedes aegypti em 206 imóveis.

A região da Dutra/Industrial (Parque Real, Val de Palmas, Santa Cândida, Vl. Dutra, Leão XIII), Falcão (Industrial, Pacífico, Souto, Paraíso) e do Centro (Altos da Cidade e Estoril) foram as que obtiveram os índices acima de 3,9, o que classifica o território com risco de transmissão.

Nas regiões afetadas pelo rodízio de água é possível notar, de forma considerável, criadouros relacionados ao armazenamento de água, de forma propícia para a proliferação do mosquito como baldes, tambores entre outros, com positividade significativa para Aedes aegypti nessas regiões.

0 Comentário

publicidade
publicidade
publicidade