menu
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe

imagem: cedida

Saúde

Jaú vai utilizar plasma sanguíneo no tratamento de pacientes com Covid-19

O método já usado nas cidades de Araraquara e Santos

Band Paulista

16h00 - 16/07/2021

Atualizado há 17 dias

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

A Secretaria de Saúde de Jaú informou, na manhã desta sexta-feira (16), que em parceria com o Instituto Butantan e com o Hospital Amaral Carvalho, dará início a utilização de plasma sanguíneo de pacientes recuperados de Covid-19 no tratamento de pacientes em estágio inicial da doença.

Os parceiros se reuniram e falaram sobre o método (foto: cedida)

O convênio entre as partes será firmado nos próximos dias. Pacientes que forem atendidos no Hospital São Judas e que se enquadrarem nos requisitos poderão dar início ao tratamento com o plasma convalescente em até 72h após o início dos sintomas. O procedimento será voltado a pacientes idosos e/ou com comorbidades como diabetes e obesidade. Um protocolo de avaliação será montado para identificação dos pacientes aptos ao tratamento.

A Secretaria de Saúde fará uma triagem inicial e coleta de sangue dos positivados para detecção de tipagem sanguínea. Posteriormente o Hospital Amaral Carvalho irá destinar o plasma compatível para que seja iniciado o tratamento. A aplicação do plasma nos pacientes será feita por equipes da Secretaria de Saúde que passarão por treinamento com essa finalidade.

O médico Marcos Mauad, hematologista responsável pelo Hemonúcleo Regional Jaú, destaca que a utilização do plasma convalescente visa estimular a criação de anticorpos pelo organismo do paciente contaminado. “O plasma de convalescente é o plasma de uma pessoa que já foi infectada ou tomou vacina e, por isso, esse indivíduo deve ter altas concentrações de anticorpos contra a Covid. Então, nós coletamos esse plasma, rico em anticorpos contra a Covid, e utilizamos em quem está doente para diminuir a carga viral e isso, faz com que a doença tenha um curso mais leve”, explica.

A utilização do plasma convalescente já é realidade nas cidades de Araraquara e Santos e também é utilizado em outros países, como a Argentina.

0 Comentário

publicidade
publicidade
publicidade