menu
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Esporte

Bernardinho assumirá seleção de vôlei da França após Jogos de Tóquio

Treinador assume equipe masculina tendo como principal objetivo ciclo dos Jogos de Paris, que acontecerão em 2024

Agência Brasil

18h10 - 12/04/2021

Atualizado há 1 mês

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O técnico Bernardinho assumirá a seleção masculina de vôlei da França após a realização dos Jogos de Tóquio. A informação foi divulgada, nesta segunda-feira (12), pela Federação Francesa da modalidade e confirmada pela assessoria de imprensa do treinador, que manterá todos os seus projetos no Brasil, inclusive no Sesc RJ Flamengo, onde comanda a equipe feminina.

“Chegamos a um acordo e será, sem dúvida um desafio importante. Espero poder contribuir com minha experiência na seleção masculina da França, mas seguirei a maior parte do tempo no Brasil. A prioridade nunca deixou nem deixará de ser os projetos que já tenho em andamento por aqui, como o Sesc RJ Flamengo e todos os demais parceiros. Acredito que essa experiência possa somar bastante em todas essas frentes, levando tudo a um ambiente global, adquirindo uma experiência internacional que possa incrementar as entregas. O objetivo com a França é 2024 [Jogos Olímpicos], mas em todos os outros projetos a expectativa é que sigam adiante. Sempre me dediquei de coração a todos os trabalhos e seguirei assim, com muita vontade de ampliar esses vínculos no Brasil por muitos outros anos”, declarou Bernardinho.

O treinador assume a França tendo como principal objetivo o ciclo dos Jogos de Paris (2024). Para encarar tal desafio ele conta com grande experiência, tendo disputado seis edições seguidas dos Jogos, conquistando medalhas em todas. Com a seleção brasileira feminina foi Bronze em Atlanta (1996) e Sydney (2000). E com o time masculino foi ouro em Atenas (2004) e Rio de Janeiro (2016) e prata em Pequim (2008) e Londres (2012).

“Dirigir a França será um desafio muito grande e sou movido a desafios, todos sabem. Ainda tenho muitos anos pela frente fazendo o que mais gosto, que é treinar equipes e desenvolver pessoas. Eventualmente podemos enfrentar o Brasil, estarei ali trabalhando, normalmente, como muitos outros técnicos já fizeram, e em vários esportes, mas seguirei com meu coração verde e amarelo”, concluiu Bernardinho.

0 Comentário

publicidade
publicidade
publicidade