menu 25-anos
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Notícias

Bolsonaro: “Nós militares jamais aceitaríamos um julgamento político para destruir um presidente”

Presidente concedeu entrevista exclusiva à BandNews TV nesta segunda-feira (15)

Band Mais

23h11 - 15/06/2020

Atualizado há 6 meses

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

Ao comentar a possibilidade de um golpe militar no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que as Forças Armadas sabe qual o seu papel numa democracia, mas que jamais aceitariam um julgamento político para destruir um presidente eleito.

Em entrevista à BandNews TV, o presidente comentou os protestos antidemocráticos pedindo um AI-5 em que participou no último mês. Segundo ele, são polêmicas que “a grande mídia” quer criar em seu entorno.

“Onde é que eu provoquei o Supremo Tribunal FEderal? Não existe isso. Se tem uma pessoa com um cartaz escrito AI-5, é digno de pena essa pesosa. Existe AI-5? Existe pena de morte? É a mesma coisa do artigo 142, das Forças Armadas, como se o alto comando não soubesse qual o seu papel numa democracia. Nós militares somos os verdadeiros responsáveis pela democracia neste país. Nós jamais cumpriríamos ordens absurdas, mas jamais aceitaríamos um julgamento político para destruir um presidente democraticamente eleito”, pontuou.

Bolsonaro criticou também o inquérito das fake news que corre no Tribunal Superior Eleitoral contra sua chapa presidencial nas eleições de 2018 acusado de impulsionar notícias falsas para interferir no pleito.

“Me julgar por uma página que ficou fora do ar por menos de 24 horas para caçar a chapa Bolsonaro-Mourão é começar a limentar uma crise. Como que eu vou dar golpe se eu já sou presidente da República? Se eu já sou o chefe das Forças Armadas?”, criticou.

Veja a entrevista exclusiva do presidente à BandNews TV:

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

 
publicidade
publicidade
publicidade