menu 25-anos
publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

“Boom” de aposentadorias leva gastos com inativos do Camprev ir para o terceiro maior orçamento para 2020

Previsão do rompo com o pagamento de aposentadoria é de R$ 600 milhões

Blog da Rose

18h00 - 11/11/2019

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O crescimento no número de aposentadorias do Camprev – Instituto de Previdência dos servidores municipais – fez com que a receita destinada para pagar os gastos do instituto fosse para o terceiro lugar no Orçamento da Prefeitura de Campinas para o ano que vem. Só para este ano, a estimativa é de um rombo de R$ 600 milhões no caixa.

São previstos R$ 1,09 bilhão para o ano que vem com o Camprev, perdendo apenas para Saúde (R$ 1,5 bilhão) e Educação (1,2 bilhão).

Segundo o presidente do Camprev, Marionaldo Maciel, em 2005 a média de aposentadorias era de 50 pessoas por ano. Neste ano, foi de 800 aposentadorias.

“Vocês viram que o orçamento do Camprev chegou a casa do bilhão. Há um aumento das aposentadorias e isso vai impactar o instituto. Estamos fazendo um diagnóstico e vamos enviar nos próximos meses um projeto de lei com uma solução para o Camprev”, disse Maciel nesta segunda-feira (11/11), durante audiência pública na Câmara de Campinas sobre o Orçamento do ano passado.

A estimativa do Camprev é fechar o ano com um rombo de R$ 600 milhões. No ano passado, o déficit foi de R$ 506 milhões.

Em 2018, a folha dos inativos foi de R$ 740 milhões e a contribuição recolhida no caixa do Camprev foi de R$ 234 milhões. Os servidores contribuem com 11% e a prefeitura com 22%.

O Fundo Financeiro tem 9.875 inativos. Sendo que os que contribuem hoje são 7.792 servidores. A balança está invertida.

Fundo Previdenciário

O Fundo Previdenciário – formado por aqueles que entraram na Prefeitura de Campinas após 2003 – é superavitário. São 7.015 servidores que contribuem, sendo que há apenas 72 aposentados e 42 pensionistas. No ano passado, a receita com a contribuição foi de R$ 121 milhões, enquanto que a folha de pagamento gira em torno de R$ 350 mil por mês.

publicidade
publicidade
publicidade