menu 25-anos
facebook
publicidade
publicidade
Compartilhe

Cantor Belo/ Divulgação

Entretenimento

Cachê de Belo é retido pela justiça para pagamento de dívida

12h57 - 09/10/2019

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O cantor de pagode Belo, 45, teve seu cachê penhorado por conta de uma dívida judicial, tudo isso porque ele mesmo moveu uma ação contra o ex-jogador de futebol Denílson, 42, e perdeu. O pagodeiro foi condenado a pagar custos processuais da causa, honorários de sucumbência, destinados ao advogado do jogador fixados em 10% do valor da ação.

O processo foi aberto em 2017 pelo cantor, quando Denílson comentou no Instagram uma dívida milionária entre os dois.

“Só falta aprender a pagar quem ele deve”, comentou Denilson em um post do cantor Thiaguinho em que aparece ao lado de Belo.

Belo contestou a penhora do cachê, segundo a sua defesa o valor é considerado salário, sendo assim, impenhorável. O advogado do pagodeiro também entrou com pedido de cancelamento da ordem judicial que bloqueia suas contas bancárias.

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), entende que “Trata-se de mero percentual de rendimento, que é passível de penhora” e manteve a decisão. A justiça completou, que a penhora do valor não será recorrente, pois acabará assim que a dívida for quitada.

“[Belo] Participa de vários eventos artísticos, e não foram penhorados seus rendimentos em todos os eventos, mas apenas naqueles indicados pelo exequente”, assinou a juíza, em 27 de setembro.

O processe movido por Belo contra o ex-jogador Denílson em 2017 era de R$500 mil, sendo assim, os custos processuais são de R$50 mil ao cantor. Mas, com correções e multas, hoje o valor é equivalente a R$74,3 mil.

Denílson e Belo se desentendem desde que o comentarista futebolístico comprou os direitos da banda Soweto, e o pagodeiro até então vocalista da banda, pediu para sair, sendo processado pelo ex-jogador por danos morais. A justiça havia determinado a penhora dos direitos do artista para quitar uma dívida anterior, no valor de R$4,7 milhões, com Denílson.

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

publicidade
publicidade
publicidade