menu 25-anos
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Notícias

Câmara dá sinal verde aos voluntários que vão trabalhar em “restaurante” para morador de rua

Distribuição de comida por entidades e igrejas nas ruas do centro para essa população está proibida

Rose Guglielminetti, Band Mais

17h18 - 30/07/2020

Atualizado há 5 meses

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

Com 26 votos favoráveis, a Câmara de Vereadores de Campinas aprovou nesta quinta-feira (30/07) o cadastro de voluntários que vão trabalhar no “restaurante” que vai distribuir comida para os moradores de rua. A Prefeitura de Campinas não vai mais permitir que haja entrega de alimentação a esse público nas ruas da cidade.

A Administração vai ser responsável pela produção do alimento, cuja entrega será centralizada. As entidades e igrejas que faziam esse trabalho poderão ajudar como voluntários para servir a comida num espaço pré-determinado pela prefeitura.

Em 2018, durante o debate de uma comissão que estudou a problemática foi trazida às discussões uma reclamação dos comerciantes que disseram que no dia seguinte tinham que chegar mais cedo às suas lojas para limpar as fachadas dos comércios que ficavam sujos de fezes e de restos de comida.

O presidente da comissão, vereador Luiz Rossini (PV), disse que projeto, de autoria do prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), se baseou quase em sua integralidade na minuta elaborada no Poder Legislativo. “Foi um dos trabalhos mais produtivos realizados pela Câmara de Campinas. Fizemos mais de 11 reuniões envolvendo todos setores com a assistência social, a saúde, o comércio, a universidade e até com representantes dos moradores de rua. Também visitamos in loco vários locais que servem de abrigo e ajuda a essa população”, disse Rossini, por meio da assessoria de imprensa da Câmara.

Já o presidente da Câmara, vereador Marcos Bernardelli (PSDB), que na época foi o relator da comissão, ressaltou que o trabalho rendeu ainda outras iniciativas adotadas pelo Poder Executivo, como a instalação de banheiro público na região central, onde se concentra a maioria dos moradores de rua. “Essa foi uma das grandes contribuições que demos para o centro da cidade”. A comissão foi composta ainda por Nelson Hossri (PSD), Ailton da Farmácia (PSB) e o ex-vereador Paulo Haddad (CIDAD).

O vereador Gustavo Petta (PCdoB) e a vereadora Mariana Conti (PSOL) reforçaram, durante as duas discussões de votação, que a regulamentação do projeto ainda a ser elaborada não deva inibir as entidades que fazem hoje a distribuição de alimentos.

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

 

relacionadas

publicidade
publicidade
publicidade
Mais notícias