menu
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

Agência autoriza Sanasa a reajustar conta de água em 15,92%

Cerca de 523 ligações serão afetadas com a medida; empresa ainda não bateu o martelo

Rose Guglielminetti

17h57 - 23/12/2021

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

A Agência Reguladora ARES-PCJ indicou à Sanasa a possibilidade de reajustar a tarifa de água e esgoto em 15,92%, a partir de fevereiro do ano que vem. A empresa, que ainda não vai se posicionar sobre o reajuste, está há quase dois anos sem alterar o valor das tarifas devido à pandemia da covid-19. O índice sugerido pela Ares-PCJ é inferior aos 16,22% da inflação medida pelo IPCA, entre setembro de 2019 e novembro deste ano.

Se a Sanasa decidir aplicar a correção, serão afetadas 523 mil ligações residenciais, comerciais e industriais de Campinas.

Para chegar a esse índice, a ARES-PCJ avaliou os custos da empresa no último ano. De acordo com o relatório, a Sanasa teve um reajuste de 41,37% de energia elétrica. O gasto com combustíveis teve alta de 56,68%. Já os produtos da empresa e os químicos para tratamento subiram 20,57%, desde o último reajuste praticado em fevereiro de 2020.

A empresa está com um refis – programa de renegociação de débitos com os consumidores. Ela tem a receber cerca de R$ 148,1 milhõse. Foram feitos 4,5 mil acordos que devem trazer para os cofres da empresa cerca de R$ 11,5 milhões que serão pagos em 60 meses.

Numa entrevista ao Programa Bastidores do Poder, da Rádio Bandeirantes, o presidente da Sanasa, Manuelito Magalhães, explicou que a empresa foi afetada pela pandemia devido ao fechamento do comércio. Houve uma queda na receita.

E foi justamente neste período que a empresa deu isenção do pagamento da conta de água para os clientes que consumiam até 10 m³, aqueles que estão dentro do grupo chamado de “tarifa social”. Cerca de 80 mil pessoas têm sido beneficiadas, gerando um custo de cerca de R$ 6 milhões ao ano.

Outras cidades

A ARES-PCJ já autorizou reajustes nas cidades de Valinhos (17,2%), Jundiái (18,12%), Pedreira (15,35%) e Rio Claro (14,8%).

0 Comentário

publicidade
publicidade
publicidade