publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

Campinas adia pra 1º de março volta às aulas presenciais

Medida atende aos trabalhadores da Educação e também tem relação com a segunda onda de covid-19 que assola todo o País

Zezé de Lima, Blog da Rose

16h25 - 22/01/2021

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

A Prefeitura de Campinas adiou para 1º de março a volta das aulas presenciais na rede municipal de ensino e deixou para 8 de fevereiro apenas o início do conteúdo on-line. A medida atende aos trabalhadores da área de Educação e também tem relação com a segunda onda de covid-19 que assola todo o País. Em live nesta tarde, o prefeito Dario Saadi disse que a situação da doença na cidade não é tranquila. “Estamos próximos do limite”. Um exemplo são dos leitos públicos de enfermaria: dos 386 na cidade, 270 estão ocupados hoje. Desses 116 livres, apenas um é do sistema público.

Dario anunciou mais 15 leitos de UTI para covid-19 na cidade. Segundo ele, esses leitos, junto com os outros 142 que já operam com exclusividade para a doença na rede municipal, serão bancados pelos R$ 12 milhões liberados pelo Estado e que chegarão na semana que vem. Se houver necessidade de mais leitos, já que as autoridades sanitárias preveem um aumento ainda maior de casos, Dario conta com mais ajuda do Estado, com abertura de leitos no Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp e no Ambulatório Médico de Especialidades (AME).

O Hospital de Campanha, que operou no ano passado para receber pacientes ambulatoriais, no momento, não é uma opção, por ter um custo operacional maior do que os leitos convencionais. Perguntado sobre o estoque de oxigênio na cidade, passou a palavra ao secretário de Saúde Lair Zambon, que disse que não há qualquer sinal de déficit. Sobre as vacinas, informou que todas as 24,9 unidades recebidas serão usadas como primeira dose, atendendo a recomendação do próprio Ministério. Outra informação é que não haverá redução da frota de ônibus enquanto vigorar a fase Laranja.

Dario aguarda o decreto estadual que determina o retorno do Município à fase Laranja do Plano São Paulo para se posicionar sobre as medidas mais restritivas, que impactarão principalmente o comércio no mínimo até o dia 8 de fevereiro. A princípio, ele pretende cumprir as determinações à risca, e, como fizeram as autoridades da Saúde do Estado em live hoje na hora do almoço, clamou por ajuda da população: usar máscara, evitar aglomeração. Os jovens foram os mais invocados pelo prefeito e autoridades sanitárias presentes. Para os que não atenderem ao chamado, haverá mais rigor na fiscalização e mais campanha de conscientização.

0 Comentário

publicidade
publicidade
Mais notícias