publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

Campinas começa na quinta-feira imunização via agendamento com vacina de Oxford

No total, são seis categorias serão contempadas: médicos; enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem; dentistas, fisioterapeutas, técnicos de laboratório e motoristas de ambulância

Zezé de Lima, Blog da Rose

07h09 - 27/01/2021

Atualizado há 1 mês

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

Campinas dá início à segunda fase de vacinação dos profissionais de saúde na próxima quinta-feira. O agendamento pode ser feito a partir das 17h desta terça, dia 26, no site vacinacampinas. São 12 mil doses do imunizante desenvolvido pela Fiocruz – Oxford/AstraZeneca, enviadas pelo Ministério da Saúde, que atenderão às categorias que mais tiveram notificações de infecção de covid-19 durante a pandemia.

Segundo o prefeito, Dário Saadi, diferentemente das 24,9 mil doses da CoronaVac, que atenderam ao pessoal da linha de frente de combate à pandemia e a idosos abrigados em instituições, esse lote é mais abrangente. No entanto, em função de não ter o suficiente para os cerca de 60 mil profissionais que atuam na área da Saúde em Campinas, houve necessidade de se estabelecer um critério. A Prefeitura optou por contemplar as categorias que apresentaram maior número de profissionais infectados durante a pandemia.

No total, são seis categorias: médicos; enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem; cirurgiões dentistas, fisioterapeutas, técnicos de laboratório e motoristas de ambulância. Os profissionais têm de fazer o agendamento para um dos dois centros de imunização – Centro de Vivência do Idoso, no Taquaral, ou Caic Zeferino Vaz, na Vila União. As vacinações serão realizadas em intervalos de quatro minutos e a expectativa é de que todas as doses tenham sido aplicadas em seis dias.

O carregamento da vacina de Oxford enviado a Campinas foi 44,9 mil doses, para serem distribuídas também na região. Um total de 16,7 mil ficaram na cidade, das quais 4,7 mil irão para Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) para serem usadas nos profissionais de saúde da instituição, segundo o prefeito. A universidade foi a primeira na cidade a receber a CoronaVac. Foram 4 mil doses, número insuficiente para cobrir todos os seus profissionais da Saúde.

5 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

 
publicidade
publicidade
publicidade