menu
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

“Crise hídrica de 2014 pode se repetir neste ano”, diz presidente do PCJ

Segundo Mário Botion, presidente do PCJ, estado está usando água reservada

Rose Guglielminetti

11h52 - 28/05/2021

Atualizado há 23 dias

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O presidente do Consórcio das Bacias do PCJ – rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí, Mário Botion (PSD), que também é prefeito de Limeira, disse nesta sexta-feira (28/05), que a crise hídrica de 2014 pode se repetir neste ano devido à falta de chuvas. Naquele ano, a população do estado de São Paulo se viu obrigada a economizar água, teve de conviver com a possibilidade de multa por uso indevido do líquido precioso e passou a acompanhar diariamente as medições de nível do principal sistema de abastecimento paulista, o Cantareira, e esperou, ansiosa, pela temporada de chuva.

Segundo ele, o volume útil do Sistema Cantareira está em 48%, quando no ano passado estava em quase 70%. Além disso, a média de chuvas no sistema foi de 29,30 mílimetros em maio deste ano. No mesmo mês, em 2017, o índice foi de 123,20. milímetros.

A situação é extremamente preocupante e podemos passar neste ano o que vivemos em 2014. Neste momento, estamos consumindo o que temos reservado de água”

Mário Botion, presidente do Consórcio das Bacias do PCJ

Segundo ele, os gestores públicos devem fazer intervenções rápidas para evitar o colapso. Entre elas, estão a construção de piscinões ecológicos na zona urbana, implantação de cacimbas na zona rural, além de reseva de água bruta e água tratada. “As duas primeiras tem baixo custo e as duas últimas exigem um investimento maior. Também é necessário alertar a população sobre o risco da falta de água e a necessidade do uso consciente”, alertou ele.

O presidente do consórcio afirmou que os índices de chuva- que há estão críticos – tendem a piorar nos próximos meses. “O pico da estiagem se dá entre julho e agosto”, ressaltou.

Ele lembrou ainda que as represas que estão sendo construídas em Amparo e Pedreira e que entraram em operação nos anos de 2022 e 2023, irão ajudar a melhorar o abastecimento na região.

Cantareira

O Cantareira é o principal sistema de abastecimento de São Paulo, fornecendo água a 6 milhões de habitantes na região metropolitana. O sistema também é responsável pelo abastecimento de uma população de 5 milhões de pessoas nas bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí.

Nessas cidades do interior, o grande problema foi a inexistência de reservatórios de armazenamento. A água usada no abastecimento da região é captada diretamente do Rio Atibaia, que, por sua vez, recebe água do Sistema Cantareira. Por esse motivo, Campinas não adotou o racionamento e a população sofreu com constantes desabastecimentos.

0 Comentário

relacionadas

publicidade
publicidade
publicidade