menu
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Notícias

Doria fecha igrejas, paralisa futebol e restringe 14 atividades

Estado tem 53 cidades sem leitos de UTI para pacientes com coronavírus

Rose Guglielminetti, Blog da Rose

13h01 - 11/03/2021

Atualizado há 1 mês

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

Com pessoas na fila de espera por um leito de UTI, o governador de São Paulo, João Doria, anuncia o fechamento de igrejas e escolas estaduais, paralisou as atividades esportivas coletivas. Segundo o governo, serão afetadas 14 atividades que irão tirar 4 milhões de circulação no estado. A restrição mais severa começa na próxima segunda-feira (15/03) e vai até o dia 30.

O objetivo é tentar frear a disseminação do coronavírus, principalmente, da nova cepa que circula no estado. O governo classificou as medidas como fase emergencial no Plano SP.

Segundo o coordenador do Centro de Contigênciamento da Covid-19, Paulo Menezes, além da suspensão das atividades religiosas e esportivas, também vai proibir o funcionamento do comércio de construção, atividades de escritórios e vetou a retirada de produtos e comidas nos comércios. Apenas o delivery e o drive-thru estão autorizados.

Quanto às escolas estaduais, as aulas presenciais estão suspensas. O estado está antecipando os recessos de abrir e outubro para os dias 15 a 28 de abril. Em relação às escolas privadas é recomendado a suspensão das aulas presenciais.

Toque de recolher

Além disso, está mantido o toque de recolher das 20h às 5h. Também está proibido o uso de praias e parques, aglomerações e o uso de márcara é obrigatório.

Transporte Público

Para reduzir aglomeração no transporte público, o governo estabeleceu um horário escalonado para as atividades comerciais. O horário de entrada para a indústria seria das 5 às 7h. Dos serviços das 7h às 9h e do comécio em geral, das 9h às 11h.

Colapso

Segundo o secretário Jean Gorinchteyn, 2.046 pessoas estão na fila por uma vaga em leitos de alta complexidade nesta quinta-feira (11/03) nos hospitais do Estado. Ele disse ainda que 53 cidades têm hospitais com taxa de ocupação em 100%. Na segunda-feira, eram 32 municípios.

Hoje são 9.184 pessoas internadas em UTI no Estado e 11.692 em enfermarias. A taxa é de 87,5%.

O secretário afirmou ainda que 50% dos pacientes em algumas UTIs têm idade menor do que 60 anos – o que demonstra a mudança do perfil da doença.

“São 150 novas internações em terapias intensivas por dia. A disseminação é muito, muito alta. É pior do que a gripe espanholha porque não matou tanta gente”, disse ele.

Desde o início da pandemia, são 63.010 mortos e 2.164.066 casos confirmados. Foram 12% a mais de mortes em relação a semana passada.

0 Comentário

publicidade
publicidade
publicidade