publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

Maestro Victor Hugo Toro deixará Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas

Novo regente será definido a partir de uma lista proposta pelos músicos; escolha será do prefeito Dário Saadi

Zezé de Lima, Band Mais

15h08 - 05/02/2021

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O maestro Victor Hugo Toro deixará a Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas. A decisão foi anunciada hoje. O maestro participará do processo de transição, que será gradual. O novo maestro será definido a partir de uma lista proposta pelos músicos. A escolha será do prefeito Dário Saadi.

“Entrei em 2011 e sinto que é o momento de partir. Sou um dos maestros que ficou mais tempo à frente da Orquestra. São 10 anos e é um ciclo. Faz parte da lógica do relacionamento entre os maestros e as orquestras. Sairei daqui para novos projetos”, afirmou. Toro foi responsável por mais de 500 apresentações.

A orquestra
A Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas foi a primeira instituição do gênero a surgir em uma cidade brasileira fora de capital de Estado. Documentos de 1929 comprovam que a Sinfônica de Campinas foi criada, formalmente, em 6 de outubro daquele ano, como Sociedade Symphonica Campineira.
Esses dados tornam a Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas uma das mais antigas do País em atividade. O concerto de estreia foi no dia 15 de novembro de 1929, sob regência do maestro Salvador Bove. Desde então, a Orquestra encanta o público com obras de grandes compositores e privilegia o trabalho de artistas regionais. Em 1965, a instituição passou a ser mantida pela Prefeitura de Campinas.

Victor Hugo Toro
Nascido em Santiago do Chile, Victor Hugo Toro realizou estudos de regência orquestral e formou-se na Faculdade de Artes da Universidade do Chile. Foi vencedor do II Concurso Internacional de Regência Orquestral – Prêmio OSESP – Organizado pela Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo e tem sido convidado a reger importantes orquestras. Victor Hugo Toro é também compositor e suas obras têm sido interpretadas por diversos grupos sinfônicos e de câmara. Ele foi escolhido um dos 100 líderes jovens do Chile pelo jornal “El Mercúrio” e recebeu uma homenagem da Câmara Municipal de São Paulo pelo seu trabalho em prol da música, a sociedade paulistana e o acercamento cultural entre Chile e Brasil.

0 Comentário

publicidade
publicidade
Mais notícias