menu
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

MP exige que secretários de Saúde e Educação do governo Dário devolvam salários recebidos da prefeitura

José Tadeu Jorge e Lair Zambon são funcionários da Unicamp e Promotoria entende que eles podem ter apenas um salário

Rose Guglielminetti, Blog da Rose

12h50 - 19/11/2021

Atualizado há 2 meses

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O promotor Angelo Carvalhaes exigiu dos secretários de Educação, José Tadeu Jorge, e de Saúde, Lair Zambon, a devolução dos salários recebidos desde que entraram na Prefeitura de Campinas, em janeiro deste ano. Se levar em conta o valor de R$ 23,9 mil por mês, eles terão de devolver cerca de R$ 478 mil – o que daria R$ 262,9 mil para Zanbom e R$ 215,1 mil para Tadeu Jorge. Isso porque Carvalhaes entende que, como ambos são funcionários da Unicamp, eles não podem acumular os cargos nas duas instituições.

Secretário de Educação se aposentou em setembro

Segundo o promotor, não há dolo nem crime de ato de improbidade, mas eles tem de seguir a lei. Numa reunião entre o promotor e os dois secretários, além do secretário de Justiça de Campinas, Peter Panuto, além de procuradores da Unicamp, Carvalhaes propôs duas alternativas aos secretários. Em relação à Educação, como Tadeu Jorge se aposentou no mês passado, cessou a irregularidade e ele pode continuar como secretário. Porém, tem de devolver os valores recebidos até setembro, o que daria um total de R$ 215,1 mil.

Secretário de Saúde vai ter de optar por apenas uma renda

Já em relação ao secretário de Saúde, ele poderá continuar como secretário de Saúde, mas terá de abrir mão de um dos salários – ou da prefeitura ou da Unicamp. E terá de devolver também o que recebeu ao longo desse período.

O salário da Unicamp é por volta de R$ 26 mil.

Na reunião, ambos pediram para dar uma resposta à Promotoria até janeiro de 2022.

Outro lado

A Prefeitura de Campinas informa que tem mantido conversações com o Ministério Público a esse respeito e se manifestará oportunamente.

0 Comentário

publicidade
publicidade
publicidade