menu
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

MP vê indícios de rachadinha e instaura inquérito civil contra o vereador Otto Alejandro

Parlamentar é acusado de ficar com parte dos salários dos seus assessores

16h57 - 15/12/2021

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O promotor Angelo Carvalhaes instaurou nesta quarta-feira (15/12) inquérito civil para investigar o vereador Otto Alejandro (PL) por prática de rachadinha. Ele teria ficado com parte dos salários dos assessores da Câmara e da Prefeitura de Campinas. Dos 10 políticos denunciados, ele é o primeiro a ter a investigação instaurada devido aos índicios que levam à materialidade de provas. O promotor decretou sigilo.

De acordo com a denúncia, o parlamentar fica com parte dos salários dos assessores nomeados tanto na Câmara quanto na Prefeitura de Campinas. Os percentuais de devolução chegam a 70%.

O denunciante anônimo informou que os assessores recebem os salários no dia 30 de cada mês e têm de entregar parte do valor para o administrador da AR-7 (Administrador Regional), Renato Maia.

No total, 10 políticos estão na mira do MP por apropriação indébita de salário de servidores. Entre os vereadores denunciados estão: Edison Ribeiro (PSL), Permínio Monteiro (PSB), Jorge Schneider (PL), Marcelo Silva (PSD), Gustavo Petta (PCdoB), Zé Carlos (PSB), Otto Alejandro (PL), Filipe Marchesi (PSB) e Nelson Hossri (PSD). Ontem, entrou uma denúncia contra o ex-vereador Cidão Santos (PSC), que hoje é presidente da Mata Santa Genebra.

A maior parte das denúncias são anônimas. Apenas em relação aos vereadores Otto, Petta, Zé Carlos e Marcelo as pessoas se identificaram.

Todos os vereadores negaram a prática de rachadinha.

Otto Alejandro foi procurado, mas não comentou nada sobre a instauração de inquérito contra ele.

0 Comentário

publicidade
publicidade
publicidade