menu
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

Paulo Gaspar vai votar contra projeto que aumenta salários de assessores da Câmara

Salários terão aumento de até 39% e tíquete vai ganhar mais R$ 350,00 por mês

Rose Guglielminetti

15h10 - 22/11/2021

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O vereador Paulo Gaspar (Novo) irá votar contra o projeto de lei da Câmara de Vereadores de Campinas que vai turbinar o sálario dos asssesores. Com isso, serão gastos mais R$ 3,8 milhões ao ano que vão sair dos cofres públicos para pagar a despesa num momento em que o Brasil tem mais de 14 milhões de desempregados e com reajustes quase zero em todas as categorias.

De acordo com os projetos que serão votados nesta segunda-feira (22/11), o valor do salário dos 99 assessores de gabinete vão passar de R$ 3,6 mil para R$ 5.045 ao mês. Um aumento de 39%, elevando o gasto com esse grupo para R$ 1,7 milhão ao ano.

A Mesa da Câmara também vai dar um aumento de 29% sobre os salarios dos 33 assessores parlamentares: vão passar de R$ 6,2 mil para R$ 8.052 ao mês, o que vai gerar um gasto a mais de R$ 716,8 mil ao ano.

Além disso, a Câmara decidiu aumentar o tiíquete dos funcionários da Câmara em R$ 350,00. Com isso, o Legislativo vai consumir mais R$ 1,4 milhão dos cofres públicos para engordar um vale-refeição que hoje está em R$ 1.428,60. Os 342 funcionários irão ter a partir de janerio de 2022 um vale-refeição de R$ 1.778,60 por mês.

E para fechar o pacote de bondade, a Câmara vai conceder reajuste de 11,22% (IPCA + dissídio coletivo) sobre os salários de todos os servidores do Legislativo campineiro. Neste caso, o impacto será de R$ 5,5 milhões ao ano.

O menor salário da Câmara é de R$ 2,4 mil e o maior salário é de R$ 30 mil.

Votações como essa só são revertidas com pressão popular. E o povo tá muito cansado de políticos. O problema é que esse dinheiro não é da Câmara, mas dos contribuintes. A Câmara de Campinas deveria devolver mais recursos para a prefeitura para ser investidos em Saúde e Educação”

Paulo Gaspar (Novo)

Gaspar disse ainda que o valor do tíquete é três vezes mais do que é pago na iniciativa privada.

Outro lado

Em nota oficial, a Câmara informou que o aumento dos salários ocorreu porque os salários de Campinas estão desatualizados em realção a demais câmaras.

Em relação ao dissídio informou que os servidores pediram 26,71% e a contraproposta ficou com 11,22%.

Já o aumento de R$ 350,00 no valor do tíquete ocorreu para “mitigar as perdas inflacionárias impactadas em especial pelo aumento no preço dos alimentos”, diz a nota.

0 Comentário

publicidade
publicidade
publicidade