menu
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Notícias

Stalking agora é crime

"Perseguidor tem realmente a intenção de ser insistente", diz advogada

Cida Haddad/ Eko Digital , Band Mais

11h00 - 17/04/2021

Atualizado há 1 mês

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

Você já ouviu falar em stalking (perseguição, em inglês)? Desde 1° de abril deste ano, esse crime está no Código Penal brasileiro.

A advogada e professora na Athon Ensino Superior, Juliana Saraiva, explica que essa conduta é considerada como crime em vários países. No artigo 147 A do Código Penal brasileiro, o stalking foi inserido como crime de perseguição. “É o perseguir de maneira obsessiva, reiterada, com isso causando o temor à vítima, que tem sua esfera de liberdade restrita. Essas condutas costumam acontecer por meio da internet, de redes sociais, nas quais toda hora temos aquela pessoa dando like em publicações, escrevendo comentários, mandando mensagens privadas, ou por aplicativo, mas também pode acontecer por meio de uma perseguição física, quando a pessoa passa várias vezes na frente da casa da vítima, sabe onde ela estuda, trabalha, deixa bilhete, manda flores”, afirma Juliana.

De acordo com a advogada, quando falamos sobre stalking, pode acontecer também que não seja somente esse fanatismo, mas algo relacionado ao ódio, em que a pessoa tem um pensamento diferente, alguma divergência e deixa mensagens que são ameaçadoras, que causem algum tipo de humilhação e tudo isso gera insegurança. “Homens e mulheres sentem esse tipo de ameaça porque não existe um consentimento, não é uma paquera, é algo que realmente gera constrangimento já que não há a vontade da vítima, por isso é um crime considerado doloso, pois o perseguidor tem realmente a intenção de ser insistente”, comenta Juliana.

A advogada e professora fala mais sobre esse tipo de crime:

0 Comentário

publicidade
publicidade
publicidade