menu
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

Taxa da transmissão do coronavírus cai em Campinas após medidas restritivas

Atendimentos caiu de 11.706 para 2.504 pessoas nesta semana

Rose Guglielminetti, Blog da Rose

16h12 - 30/03/2021

Atualizado há 22 dias

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

A taxa de transmissibilidade do coronavírus teve redução Campinas está em 0,98 – cada 100 infectados transmitem o vírus para 98 pessoas. A taxa já chegou a 1,2. Isso significa que a circulação do vírus está menor na cidade. Os gestores da Prefeitura de Campinas avaliam que a redução é reflexo das medidas de restrições impostas na cidade que tem adotado barreiras sanitárias, toque de recolher das 20h às 5h e funcionamento apenas do comércio essencial.

De acordo com a diretora do Devisa (Departamento de Vigilância em Saúde), Andrea Von Zuben, os atendimentos caiu de 11.706 pessoas com sintomas gripais da semana nove (de 28 de fevereiro a 6 de março) para 2.504 pessoas na semana atual – ou 13ª semana. Andrea explicou que a expectativa é que o número desta semana chegue a 6.260 atendimentos. “Mesmo assim já vericamos que há uma queda no númerod e atendimentos. O que observamos é que há uma estabilização nas internações também. O que temos que fazer agora é não ter mais infecções”, explicou ela.

Ela explicou que apesar de as medidas restritivas já terem um reflexo na redução de procura por atendimento, há ainda um alto número de casos e de mortes. A cidade confirmou nesta terça-feira (30/03), 45 novas mortes e 1.160 casos. Segundo a médica, isso ocorre porque a doença tem um prazo longo entre a infecção e a aprentação dos sintomas.

“O período de incubação é de 14 dias, quando começam a apresentar os sintomas. A pessoa vai necessitar de internação entre o 6º e o 10º dia. Mesmo com essa pequena melhora, vamos continuar tendo óbitos”, ressaltou Andréa. Para exemplicar, ela falou sobre o caso de uma paciente de 69 anos que foi internada no dia 17 de outubro de 2020. Ela foi internada na UTI no dia 31 de outubro no ano passado e morreu no último dia 4 de março. Essa paciente ficou cinco meses internada.

A diretora explicou ainda que Campinas tem 1 mil pessoas internadas em Campinas por causa do coronavírus. Segundo ela, um paciente tem ficado 18 dias internada num leito de UTI.

Feriado Páscoa

O feriado de Páscoa preocupa os gestores. Eles temem que o almoço familiar possa fomentar a circulação do vírus. O pedido é para que as pessoas não se reúnam. Se for impossível cumprir a orientação, a diretora do Devisa pede que as pessoas usem máscara, almocem na varanda (se for possível) e mantenha distanciamento de 2 metros na hora de comer. “Sabemos que o local de maior infecção são as festas e, principalmente, as familiares. Não podemos deixar esse feriado de Páscoa voltar essa curva subir”, disse ele.

0 Comentário

publicidade
publicidade
publicidade