menu
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

Valinhos empresta cilindros de oxigênio de clínicas veterinárias para atender pacientes com covid-19

Cidade não tem mais leitos livres de UTI e enfermaria

Rose Guglielminetti

11h46 - 08/03/2021

Atualizado há 1 mês

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

Sob colapso no sistema de saúde, a Prefeitura de Valinhos emprestou cilindros de oxigênios de clínicas veterinárias para atender pacientes internados com covid-19. Além disso, doentes chegaram a ficar em cadeiras dentro das unidades de saúde com oxigênio por falta de leitos. A informação foi dada pela secretária de Saúde da cidade, Carina Missaglia, durante uma reunião com vereadores realizada ontem (07/03).

Secretária diz que situação é dramática

Segundo ela, foram emprestados cinco cilindros das clínicas privadas. A secretária informou que antes da alta de casos, eram utilizados 24 cilindros de 10 metros cúbicos por semana. Agora, são 40 unidades por dia.

A secretária explicou que na UPA não se deve intubar pacientes porque o consumo do produto é maior.

Nosso coração dispara e uma lágrima escorre porque não sabemos quando esse oxigênio vai acabar (…) peço oração e calma para todos”

Carina Missaglia, secretária de Saúde de Valinhos

A cidade está com 100% de ocupação das UTIs e Enfermarias. O município tem 38 leitos de alta complexidade nos dois hospitais. Na UPA os leitos foram ampliados de 16 para 26 leitos. Nesta unidade, os pacientes têm sido intubados enquanto aguardam transferência para os hospitais da região via sistema de regulação do Estado (Cross).

Em nota, a prefeitura confirmou a veracidade do áudio da secretária. “O áudio da secretária ressalta esta situação e, com uma dose de emoção, cansaço mas acima de tudo transparência e foco na resolutividade, ela informa o que foi feito nos últimos dias para não deixar a cidade sem atendimento.”.

A prefeitura informou que vai mudar o sistema de oxigênio da UPA de cilindros móveis para fixos, como funciona em hospitais.

Sobre os cilindros emprestados a prefeitura informou que “ela apenas antecipou, de forma preventiva, uma ação de empréstimo do cilindro vazio para que pudesse ser disponibilizado à empresa que tem contrato com o município, para que pudesse ser carregado e, assim, somar aos demais já existentes, num trabalho de suporte e stand by face o aumento considerável de consumo em razão da covid que eleva a necessidade de oxigênio nos casos de intubação de pacientes.”

Ouça o áudio

0 Comentário

publicidade
publicidade
publicidade
Mais notícias