menu
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

Vereador quer que Saúde de Campinas deixe para o fim da fila o “sommelier” de vacina

Prefeitura ainda não adotou nenhuma diretriz para quem escolhe o imunizante

Rose Guglielminetti, Blog da Rose

18h25 - 06/07/2021

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O vereador Gustavo Petta (PCdoB) quer que o prefeito de Campinas, Dário Saadi (Republicanos) proiba a escolha de vacina contra a covid-19. Ele quer que os chamados “sommeliers de vacina”, quando o cidadão decide não tomar vacina contra a covid-19 porque o imunizante não é de uma marca considerada confiável por ele, fiquem para o fim da fila.

Essa pessoa só teria direito à imunização após todos os grupos previstos no PNI (Plano Nacional de Imunização) estivessem vacinados.

“Com a aprovação da Anvisa, todas as fabricantes de imunizantes são aptas e confiáveis para a aplicação da vacina, portanto, não há motivo para que haja essa escolha que acaba prejudicando todo o plano de imunização do município”, disse Petta no documento protocolado nessa terça-feira (06/07).

Segundo ele, dez cidades do estado de São Paulo tomaram medidas preventivas contra esse usuário. Em Jales, Urupês, São José do Rio Preto, Rio Grande da Serra e Caieiras, o cidadão que quer escolher a vacina deve assinar um termo de recusa do imunizante disponibilizado no dia. Em Embu das Artes, há um bloqueio do sistema para aqueles que tomam tal medida. Já quem se recusa a vacinar por causa da fabricante da vacina em Osasco poderá se vacinar apenas na “repescagem”. Já as cidades de Guararema, São Caetano do Sul e São Bernardo do Campo adotaram a medida de colocar no fim da fila aqueles que se recusam a tomar vacina por motivos da “marca”.

Em São Bernardo do Campo, no primeiro dia de adoção do método, o número de recusas caiu 90,99%. Das 222 recusas no dia 30 de junho, apenas 22 foram registradas no dia primeiro de julho.

Outro lado

A Secretaria de Saúde de Campinas informou que ” está estudando o número de recusas e analisando as medidas que serão tomadas.”

0 Comentário

publicidade
publicidade
publicidade