menu
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

CPI vai investigar vencimento de testes de covid-19 em Valinhos

Prefeitura deixou vencer 680 exames para detecção da doença

Rose Guglielminetti, Blog da Rose

13h23 - 09/06/2021

Atualizado há 11 dias

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

Sete vereadores pediram a abertura de CPI para investigar possíveis irregularidades da prefeita Capitão Lucimara (PSD) nas ações de combate à pandemia que resultaram no vencimento de 680 testes rápidos para detecção do coronavírus. Cidade está com 100% dos leitos de UTI e enfermaria para pacientes com coronavírus ocupados.

LEIA MAIS

Valinhos está sem leitos de UTI

O grupo que pediu a investigação é formado por Rodrigo Toloi (DEM), Dr. André Melchert (DEM), César Rocha (DC), Marcelo Yoshida (PT), Henrique Conti (PTB), Simone Bellini (Republicanos) e Edinho Garcia (PTB).

A CPI terá prazo de 45 dias para a conclusão dos trabalhos, podendo o prazo ser prorrogado, se for necessário.

“Das informações extraídas dos requerimentos, constata-se a possível irregularidade dos gestores da saúde municipal na administração da utilização dos testes rápidos de covid-19, vindo a causar a perda de grande quantidade dos testes, o que consequentemente implica perda de recursos públicos, conduta passível de punições administrativas e legais. Nessa linha, a prefeita pode estar concorrendo com a violação dos princípios da eficiência e demais princípios da Administração Pública”, afirmam os vereadores.

CPIs

Essa é a segunda CPI que estará em andamento na Câmara. Os parlamentares já se debruçam em outra investigação para apurar possíveis irregularidades na operação do transporte público do município durante a pandemia.

Outro lado

Em nota, a Prefeitura de Valinhos informou que comprou os testes para exames em pacientes sintomáticos, incluindo os servidores públicos assintomáticos, em um momento no qual o exame RT PCR só era liberado para pessoas com comorbidades. Ressaltou que logo depois recebeu o RT PCR para todos os pacientes sintomáticos com comorbidades ou não. De acordo com o governo, o PCR é mais efetivo e o teste rápido, inclusive, pode apresentar um falso negativo da doença. Diante dessa constação, a prefeitura optou por utilizar apenas o RT PCR. Informou ainda que nenhum paciente, que necessitou do exame, ficou sem atendimento.

0 Comentário

publicidade
publicidade
publicidade