menu 25-anos
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

Campinas põe fim à distribuição de alimentos a moradores de rua no Centro de Campinas

Prefeitura vai entregar comida em dois espaços fechados e vai ser responsável pela produção da refeição

Rose Guglielminetti, Blog da Rose

16h01 - 13/07/2020

Atualizado há 24 dias

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), oficializou nesta segunda-feira (13/07) o fim do trabalho de entrega de alimentos aos moradores de rua no Centro de Campinas por grupos religiosos e ONGs.

De acordo com a nova proposta, a prefeitura vai produzir as refeições e a distribuição será feita nas duas casas da Cidadania – local fechado, no Centro, e com mais conforto. A entrega nas ruas do Centro está proibida. Comerciantes dizem que há queda nas vendas devido à presença das pessoas em situação de rua e que precisam limpar as lojas por causa da sujeira resultante do restos de comida e até de fezes. A cidade tem 822 moradores de rua.

Segundo o prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), os voluntários de ONG e igrejas que levavam comida para esse público poderão se cadastrar para ajudar na distribuição das refeições produzidas pela prefeitura e nos dois locais indicados pela Administração Municipal. “Vamos tentar organizar e só vai dar certo se você, que é voluntário, compreender isso e ajudar”, disse o prefeito.

A prefeitura vai encaminhar um projeto de lei à Câmara em que permite o cadastramento desses voluntários para ajudar na distribuição dos alimentos.

A medida do prefeito traz à tona um grande debate que ocorreu na Câmara no ano passado. Na época, o monsenhor Rafael Capelato, defendeu um espaço reservado para que as pessoas em situação de rua possam se alimentar. Ele disse, durante audiência pública, que o morador em situação de rua precisa ser atendido em sua integralidade – tanto do ponto de vista física quanto espiritual – mas é preciso haver algum tipo de disciplina. Ele disse ainda que as paredes da Catedral Metropolitana de Campinas viram banheiros.

A proposta é polêmica porque nem todos os religiosos concordam. Nesta mesma reunião, o padre Nilo Oliveira, da Paróquia São Judas Tadeu, não concordou: “Retirar as ONGs ou entidades religiosas desse contato não vai resolver o problema”, disse ele. “Vivemos uma epidemia de violência contra essa população”, afirma. “Há uma espécie de higienismo embutido em nós”, concluiu.

Os comerciantes, por sua vez, alegam queda no movimento em razão da presença dos moradores de rua e também relataram que precisam limpar a entrada das suas lojas dos restos de comida e também disseram que encontram fezes na porta dos seus comércios.

O objetivo, segundo a secretária Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, Eliane Jocelaine Pereira, é colocar regras.



7 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

 
  • Silva ana disse:

    Parabéns ao prefeito pela iniciativa.
    De resolver essa situação dá alimentos e cobertores para os moradores de ruas não Resolve o Problema só Piora.
    Acho que eles deveriam ter uma ONGs para eles Morarem e trabalharem aprender um Ofício uma profissão . Ex: construção de moradia ajudante de pedreiro jardinagem eletricista e mulheres também aprenderem um Ofício trabalhar.
    Dá só casa comida e roupa lavada eles não dá valor.

    4
    1
  • Sônia Aparecida Seccon disse:

    Só dar alimento ,roupa e calçados não resolve,tem que dar algo para fazer,como,arrumar uma fazenda e fazer com que eles plantem e vendam , só assim darão valor,porque o que se jogam no lixo e demais,cobertores o caminhão passa recolhendo e é muito
    Muitos tem profissão, outros teve decepção amorosa,eu mesma já conversei com alguns, e por aí vai,,tem mulheres bem novas que poderiam estar fazendo um curso , espaço pra isso tem é só querer,agora ficar no centro s fazer nada abordando os transeuntes não dá nhe? Agora mesmo estão nas escadarias da catedral com uma caixa de som ligado alto e dançando,se eles tem o direito de ir e vir nos tbem temos ou não,?será que só temos deveres???? Sou a favor de ajudar mas quem tem vontade de ser ajudado,caridade sou a favor só que eles não dão valor porque tem de sobra , já vi muitos abrir a marmita e dizer essa eu não quero

  • Domingos Donizete Mazzilli disse:

    Têm que mandar estes moradores dê ruas,para a cidades de ondem eles vieram tá, isso sim,eles pedem dinheiro,compra marmita no bom prato,e depois joga as marmita no meio das ruas, São os verdadeiros porcos, está acabando com,a cidade de Campinas SP,

publicidade
publicidade
publicidade