menu 25-anos
publicidade
publicidade
Compartilhe
Notícias

Com investimento de R$ 15,6 mi, Unicamp irá desenvolver pesquisa do pré-sal para a Shell

Projeto vai possibilitar a análise em multiescala de dados de reservatórios do pré-sal na bacia de Santos

Band Mais

08h00 - 09/11/2019

Atualizado há 1 mês

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

A Unicamp e a Shell assinaram um termo de cooperação para projeto de pesquisa e desenvolvimento (P&D)na área de exploração de óleo e gás no pré-sal da bacia de Santos. O investimento será de R$ 15,6 milhões e o projeto será executado pelo Instituto de Geociências da Unicamp pelos próximos três anos.

Segundo o coordenador do projeto, Emilson Pereira Leite, o convênio vai possibilitar a análise em multiescala de dados de reservatórios do pré-sal, fornecendo informações que podem reduzir o risco de perfuração de poços secos. Vai colaborar, portanto, com a melhora na retirada do petróleo.

Emilson vai focar sua pesquisa na parte de inversão sísmica usando dados petrofísicos e de poços.  O docente Gelvam André Hartmann vai se concentrar na petrofísica e na aquisição de dados e informações em escala micro para centimétrica. Já o docente Alessandro Batezelli vai trabalhar a modelagem geológica através dos dados levantados pelos geofísicos.

“A ideia é integrar esses dados em diferentes escalas para construir modelos preditivos que nos permitam apontar, em regiões onde existem somente dados sísmicos, a probabilidade de ocorrência de hidrocarbonetos na área analisada”, aponta o coordenador do projeto. 

A equipe vai trabalhar com dados de quatro campos do pré-sal na bacia de Santos, o que gerará uma grande quantidade de informações para serem estudadas

Segundo Gelvam Hartmann, já existem métodos para trabalhar as passagens de uma escala para outra (micro para centimétrica). “O que diferencia esse projeto em relação a outros é que vamos usar ferramentas e metodologias para minimizar as incertezas de uma escala para outra. A ideia é que usemos os dados para calibrar as informações de poço, e estas para calibrar as de sísmica. Para isso, serão usadas algumas ferramentas de machine learning. Além disso, o IG vai receber um equipamento que permitirá testar condições de pressão do pré-sal. Isso pode abrir possibilidades de uso para outros projetos”, destaca o docente. O equipamento é único na Unicamp e ficará no Laboratório de Geofísica do IG. As informações levantadas permitirão, portanto, que se façam cálculos característicos dos reservatórios do pré-sal em diferentes escalas. 

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

relacionadas

publicidade
publicidade
publicidade