menu 25-anos
publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

Demissão de funcionários terceirizados da Unicamp gera protestos

Universidade vai contratar empresa para preparar e servir refeições no restaurante universitário

Rose Guglielminetti, Blog da Rose

20h59 - 22/10/2019

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

Uma assembleia unificada na Unicamp ocorreu para protestar contra a intenção da reitoria da Unicamp de demitir 330 funcionários terceirizados que trabalham no restaurante universitário. Uma assembleia unificada foi realizada nesta terça-feira (22/10) para pressionar a universidade a rever a decisão da reitoria da universidade.

O grupo diz ainda que um funcionário de nome Sidney foi demitido por ter sugerido um pula-catraca no restaurante como forma de protesto – uma forma muito usada no movimento estudantil – no último dia 15, quando ocorreu a assembleia extraordinária.

Sidney teria sido demitido por incentivar os colegas a participar da assembleia, já que esses funcionários terceirizados não foram liberados do expediente para a reunião. Segundo nota do movimento, a reitoria disse que não poderia liberá-los. Sidney foi demitido por “justa causa por ato de indisciplina ou de insubordinação”. “É um absurdo que a reitoria tente passar uma imagem de democracia e respeito às opiniões e puna um funcionário que fez uma fala em sua assembleia histórica!”

Outro lado

Em nota, a reitoria da Unicamp informou que a instituição vai fazer uma licitação para contratar uma empresa para a produção e distribuição de refeições no restaurante universitário porque o TCE- SP (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo) apontou possíveis irregularidades nos contratos celebrados com a Funcamp.

Nota na íntegra

A propósito do contrato celebrado em 2015 com a Fundação de Desenvolvimento da Unicamp (Funcamp), cujo objeto são os serviços de produção e distribuição de refeições no Restaurante Universitário (RU), a Unicamp esclarece o seguinte:

  1. A Auditoria do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE) apontou no relatório do balanço das contas de 2015 possíveis irregularidades no citado contrato celebrado com a Funcamp.
     
  2. Embora o Tribunal de Contas não tenha ainda proferido uma decisão sobre esse apontamento específico, mas, tendo em vista o posicionamento daquela corte em outros contratos semelhantes firmados com a Fundação de Apoio, que levaram à rescisões contratuais, e considerando que a vigência deste contrato com a Funcamp se encerrará em novembro de 2019, pelo decurso normal do prazo máximo de cinco anos previsto em lei, o prazo contratual será renovado apenas até a conclusão da nova contratação, conforme permissivo legal.
     
  3. Para a próxima contratação a Unicamp irá atender as indicações feitas pela auditoria do Tribunal, de modo que irá promover processo licitatório. Assim, a Unicamp pretende publicar, ainda em outubro, edital para realização de licitação pública, visando a contratação de empresa especializada para os serviços de produção e distribuição de refeições no Restaurante Universitário (RU).
     
  4. Como instituição pública, a Unicamp estará sempre disposta a esclarecer sobre suas medidas institucionais, cumprindo o seu dever de prestar contas à sociedade, com transparência e responsabilidade.



publicidade
publicidade
publicidade