menu 25-anos
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Notícias

Dicas para destravar a fluência em inglês

Aprendizado melhor se segunda língua for aprendida com exemplos reais

Band Mais

10h55 - 12/07/2020

Atualizado há 27 dias

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

Começar e desistir de fazer cursos de Inglês é a realidade da grande maioria dos brasileiros. Muitos até concluem seus cursos, mas sem alcançar a tão almejada fluência no idioma: estima-se que apenas 5% da população fale Inglês. De acordo com o Professor Felipe André, CEO do Programa de Fluência para adultos Jornada do Inglês, o problema pode estar associado aos métodos adotados pela maioria das escolas para ensinar o idioma.

“Muitas delas colocam foco na gramática, e esse não é o caminho mais adequado para adquirir fluência no idioma”, explica o professor, que pesquisou a respeito dos princípios da Neurociência para trazer um diferencial para suas aulas e trazer mais pessoas para o grupo dos 5% de brasileiros que são fluentes em inglês.

A seguir, o professor apresenta algumas dicas para ajudar a “destravar” a fluência no idioma, com base nos princípios da Neurociência:

• Aquilo que mexe com a emoção, “cola” na cabeça: a principal dica do professor é descobrir “o que te motiva a querer aprender Inglês?”; “Que sonhos a fluência no idioma vai te proporcionar?”. Segundo ele, essas associações ativam a região do cérebro conhecida como sistema límbico, que é responsável pela vontade. Felipe André exemplifica o modo como essa área do cérebro funciona a partir das lembranças relacionadas ao 11 de setembro: a maioria das pessoas se recorda de onde estava e o que estava fazendo quando souberam do ataque ao World Trade Center de Nova York. Isso porque a informação causou um grande impacto a elas.

• Utilize exemplos reais para aprender: ainda, de acordo com ele, fazer associações com exemplos reais, que façam parte do dia a dia do aluno, é um dos meios mais acertados para alcançar a fluência em inglês. Por exemplo: escrever sobre as viagens já feitas, passeios e outros momentos marcantes já vividos, o que ajuda a ativar as emoções, fixando melhor o aprendizado. Escrever sobre trajetos e atividades feitas no cotidiano ou sobre os planos futuros também vale!

• Transforme o que escreveu em áudios: gravar áudios daquilo que o aluno escreve em inglês, como por exemplo, os seus relatos de viagens, atividades do dia a dia ou planos para o futuro. Aliás, ouvir é uma das principais recomendações para quem quer atingir a tão almejada fluência em inglês: ouvir áudios contextualizados, com exemplos reais, relacionados ao cotidiano do aluno.

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

 

relacionadas

publicidade
publicidade
publicidade