menu 25-anos
facebook
publicidade
publicidade
Compartilhe
Notícias

Doria cutuca Bolsonaro e dá apoio ao ministro da Saúde

Bolsonaro diz que ministro não é humilde

Rose Guglielminetti, Band Mais

14h09 - 03/04/2020

Atualizado há 2 meses

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O governador de São Paulo, João Doria, aproveitou para cutucar o presidente Jair Bolsonaro nesta sexta-feira ao se solidariedade ao ministro da Saúde, José Henrique Mandetta. Ontem, em entrevista à Rádio Jovem Pan, Bolsonaro voltou a criticar governadores, a mostrar que não entende o sentido do isolamento social para combater o novo coronavírus e ainda mostrou rancor em relação a Mandetta por ele se alinhar aos técnicos da saúde e não com as posições defendidas pelo mandatário do Palácio do Planalto.

“Nossa solidariedade ao ministro da Saúde. Tenha certeza de que o seu esforço é reconhecido por todos. Pelo mundo da ciência, dos médicos e pelo governador de SP”, disse ele.

Na entrevista, Bolsonaro disse que ele e Mandetta já estão se “bicando” há algum tempo e que o ministro extrapolou e “quer valer muito a verdade dele, está faltando humildade para conduzir o Brasil nesse momento delicado”. O presidente, no entanto, afirmou que não pretende “demiti-lo no meio da guerra”. Mas advertiu que nenhum ministro seu é “indemissível”, ressaltando que não se trata de nenhuma ameaça.

Doria fez ainda um apelo para que Mandetta não deixe o cargo.A amigos, o ministro tem dito que está cansada, mas que vai esperar Bolsonaro demiti-lo. O presidente estaria forçando a queda do ministro para colar nela a imagem de “covarde” e por “abandonar” o país no meio da pandemia do coronavírus.

“O senhor tem uma posição correta, republicana, distanciada de ideologismo e com visão técnica. Resista aos despreparados. A sua resistência como ministro da Saúde do Brasil está ajudando a salvar vidas”, disse o tucano.

Casos

No Brasil, são 7.910 casos confirmados com 299 mortes. Em São Paulo, são 3.506 pessoas infectadas com o coronavírus e 214 mortos pela covid-19.

Dos 201 óbitos suspeitos, foram analisados 180 casos e foram confirmados 26 por covid-19.

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

publicidade
publicidade
publicidade