menu
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe

Carlos Reinis | Band

Entretenimento

Eliminada do MasterChef, Ana Karina deixa cozinha dançando frevo

Médica saiu no 3º episódio em prova de donuts, mas fez questão de homenagear suas raízes nordestinas; leia a entrevista exclusiva

MasterChef, Band Mais

04h45 - 22/07/2021

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

Aos 40 anos, Ana Karina entrou no MasterChef Brasil imaginando que lidar com a timidez seria seu maior desafio na competição. Enganou-se. Acostumada a cozinhar em casa e com o tempo a seu favor, descobriu na cozinha do talent show que o difícil mesmo é lidar com a pressão de ter poucos minutos e nenhum planejamento prévio para executar as receitas. Na noite desta quarta-feira, 21, a pernambucana errou no preparo de donuts e, ao servir a massa ainda quente com buttercream, viu o recheio ser sugado pelo doce. Mesmo eliminada, a oftalmologista deixou o estúdio animada, cantando e dançando frevo. 

Orgulhosa de suas raízes nordestinas, a expressão artística foi uma maneira de mostrar ao Brasil um pouco da cultura que, na cozinha, teve poucos episódios para apresentar. Em entrevista ao Band.com ela conta que em sua vida, a dança independe da timidez e foi simbólica no momento de despedida. “Eu quis homenagear a minha cultura e a minha terra. Sou muito orgulhosa dela e quis mostrar o conteúdo do pernambucano”, reflete.  

Da saída precoce, ela celebra poder ter preparado, no 2º episódio, um cuscuz que diz tanto de suas tradições. “Não fico triste, mas gostaria de ter mostrado mais regionalismo. […] Quando fiz o cuscuz gostei muito porque é uma coisa que a gente come no dia a dia. Em casa, aproveitamos a receita do café da manhã ao almoço e sei que as pessoas vão se identificar com isso.” 

Foi o cuscuz servido com alcatra que marcou a primeira participação de Ana Karina na 8ª temporada do programa. Após ficar no mezanino no episódio de estreia, ela entrou na cozinha na segunda semana e cozinhou carne sem nem mesmo provar o prato, já que retirou a proteína do cardápio há quase 6 anos. Na disputa, fez tudo por olho e com as memórias que restaram do passado, mas acabou ficando na média e sendo salva por Daphne, que foi a melhor da noite, e a levou ao mezanino.  

Na ocasião, se sentiu aliviada: “Estava nervosa e ansiosa, precisava de um tempo para me acalmar e conseguir focar na comida. Me ralei, me queimei… Achei bom ter sido salva porque estava exausta mentalmente e fisicamente. Foi bom para organizar a minha cabeça”. Embora com boas relações, as amizades não foram o suficiente para garantir que o mezanino salvasse a médica em disputa com Kelyn e Juliana N.  

De volta para casa e para suas maiores paixões, os 11 gatos e a rotina como cirurgiã, Ana pretende matar a saudade dos felinos e, no futuro, investir em seu Cat Café, restaurante com renda revertida para o cuidado dos animais. “Minha ideia não foi eliminada com a minha saída, não. Agora [sem o prêmio] vou levar mais tempo para colocar o meu plano em prática, mas vai acontecer”, celebra. Receitinhas em seu canal no Youtube também ficam na promessa da participante que sai certa de que superou um grande desafio e volta para seu estado mais forte. “Foi bom e positivo, diferente do que eu esperava quando assistia em casa”, garante. Por aqui, seguimos ansiosos para acompanhar o que vem por aí, Ana!  

Veja o que rolou no 3º episódio do MasterChef Brasil  

Caixa misteriosa dourada   
O retorno da caixa misteriosa à 8ª temporada do MasterChef trouxe como novidade a versão dourada do clássico. A caixa representa uma vantagem ou desvantagem para quem estiver com ela. Desta vez, Helena foi a selecionada por ter vencido a prova da semana anterior, de tímpano. Mesmo sem saber o conteúdo da surpresa, ela escolheu ficar com ela e não repassar para outro competidor, alternativa que lhe foi dada por Ana Paula Padrão. Deu sorte! 

No primeiro desafio da noite, todos os participantes cozinharam, mas nem todas as caixas tinham ingredientes. Em duplas, os cozinheiros tiveram que dividir 24 insumos de forma igualitária. Helena foi a exceção e ganhou o direito de cozinhar com todos os elementos disponíveis.  

A briga da pimenta  
A decisão dos competidores, que consistiu em escolher entre miúdos de frango, camarão e outros ingredientes, começou agitada com uma discussão entre Eduardo e José Sérgio que enfrentaram problemas para definir o destino da pimenta. No fim, o duelo foi definido em um acalorado par ou ímpar motivado pela apresentadora do talent show.  

Após 45 minutos, Renato teve o melhor desempenho da prova e saiu vencedor. Ao seu lado, Helena, Ana Paula e Luiz também foram destaques. O melhor da noite recebeu o direito de salvar 7 pessoas que ficaram entre as medianas na disputa. Renato levou Heitor, Sérgio, Daphne, Márcio, Isabella, Raquel e Antônio para o mezanino justificando que eles são os mais fortes no jogo em sua visão. Cristina, Kelyn e Juliana N. tiveram desempenho ruim e foram direto para a prova de eliminação.  

0 Comentário

publicidade
publicidade
publicidade
Mais notícias