menu 25-anos
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe

Divulgação Sesc/ Pedro Loureiro

Notícias

#EmCasaComSesc traz Elza Soares neste sábado

No domingo, será a vez do mestre alagoano Sapopemba

Band Mais

18h20 - 04/07/2020

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

A série Música #EmCasaComSesc recebe neste fim de semana a cantora Elza Soares com o rapper Flávio Renegado neste sábado (04/07), às 19 horas, e o mestre Sapopemba no domingo (05/07), também às 19 horas.

A programação de shows na internet do Sesc São Paulo está no ar desde 19 de abril com apresentações de nomes da música brasileira, nos mais variados estilos. Sempre às 19 horas, tem uma atração ao vivo e direto da casa do artista no Instagram Sesc Ao Vivo e no YouTube Sesc São Paulo. Até aqui, já são mais de 70 shows realizados e uma audiência de mais de 3,1 milhões de visualizações.

Na noite deste sábado (04/07) é a vez da irreverência da cantora Elza Soares em sarau intimista com participação do rapper Flávio Renegado. Muita música e bate-papo com a artista que se reinventou aos 90 anos de idade com novos trabalhos e o cantor mineiro que despontou em 2008 com o disco de estreia, Do Oiapoque a Nova York, e agora apadrinhado por uma das grandes personalidades da história da música popular brasileira. No show vanguardista #OndaNegra, Elza (voz) e Renegado (voz, violão, guitarras, synths e programações eletrônicas), acompanhados por JP. Silva (voz de apoio, violão e bandolim), revisitam clássicos como, “Malandro”, “Meu Guri”, “Mulher do Fim do Mundo”, “Espumas ao Vento”, entre outros sucessos, além de músicas recém lançadas, como “Carinhoso” e seu último single, “Juízo Final”, divulgado na semana passada e disponível nas plataformas de streaming. Completam o repertório versões clássicas como “A Carne”, com intervenção de rap em eletroacústico que mistura samba ao rock, e sucessos da discografia de Flávio Renegado, como “Minha Tribo é o Mundo” e “Rotina”. Bases, synths, violão acústico, pandeiro e guitarra embalam esse encontro inédito da música brasileira, que terá desdobramentos ainda neste mês de julho, quando lançam um hino samba-trap que traz na letra o orgulho das origens negras e interpretado por Elza Soares.

E no domingo (05/07) o mestre alagoano Sapopemba apresenta as tradições afro-brasileiras com os orixás e as entidades sagradas do álbum Gbó, que na lígua iorubá significa ouça. O repertório mescla composições autorais de Sapopemba e cantigas de candomblé, mais especificamente das nações Ketu, Ijexá, Angola e Jêje, que carregam a diversidade musical das muitas Áfricas que aportaram no Brasil. Um convite ao público para se deixar levar pela riqueza sonora do candomblé, somada à inventividade harmônica da canção popular. Em Gbó, Sapopemba celebra 30 anos de carreira musical e os mais de 50 como ogã.

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

 
publicidade
publicidade
publicidade
Mais notícias