menu 25-anos
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Notícias

Escola promove drive-thru para reduzir ansiedade dos alunos

Crianças menores sentem falta do ambiente presencial das aulas

Band Mais

10h23 - 30/07/2020

Atualizado há 5 meses

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O colégio Adventista de Hortolândia faz nesta quinta-feira (30/07) um drive-thru para matar a saudade e reduzir a ansiedade dos alunos. Os professores e os funcionários estarão em frente à escola e os alunos poderão ver os professores pessoalmente, mesmo que protegidos dentro dos carros e por trás das máscaras de proteção.

A ação tem alvo como a aluna Gabriela Reis Camargo, de 8 anos, que não vai à escola desde março, quando as aulas foram suspensas. Quase todos os dias, ela pergunta aos pais qual a data de retorno das aulas presenciais; e mescla euforia com nova previsão e tristeza, quando fica sabendo que foi adiado. Os pais tentam não falar sobre as notícias de flexibilização e adiamento, para tentar evitar a ansiedade, mas não tem jeito. Ela quer saber!

Nove em cada dez estudantes têm verbalizado durante as aulas online muita ansiedade a cada vez que eles recebem a informação de previsão de reinício das aulas, e o efeito reaparece quando avisados do retrocesso nas fases do plano de flexibilização da quarentena, do governo estadual. As incertezas têm reflexos também na área pedagógica, e isto preocupa os educadores.

“A maioria dos pais não quer o retorno agora porque ficam com medo, mas as crianças têm dificuldade de entender e de lidar com a saudade que sentem do ambiente escolar, dos amigos e dos professores. Ficamos preocupados com o efeito do distanciamento tão prolongado para o aprendizado porque, especialmente para os menores, a interação social faz parte do desenvolvimento”, explica Alan Paulo da Silva, diretor do Colégio Adventista de Hortolândia, SP. Ele salienta que compreende que estas medidas são necessárias, entretanto, tentam encontrar ideias de amenizar a situação.

A mãe de Gabriela, Simone Reis, ainda não confirmou para a menina que vai levá-la até a escola, mas está certa de que esta é uma boa oportunidade de ajudar a filha a se sentir amada e confiante de que tudo vai voltar ao normal em breve.

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

 

publicidade
publicidade
publicidade