menu 25-anos
facebook
publicidade
publicidade
Compartilhe
Notícias

Escolas privadas repudiam desconto em mensalidades no período da pandemia

Deputado propõe desconto de até 30% sobre os valores pagos pelos pais

Rose Guglielminetti, Band Mais

11h34 - 08/04/2020

Atualizado há 1 mês

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

Mais de 80 escolas privadas de Campinas assinaram um manifesto contra o projeto de lei, que tramita na Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo, que obrigam as escolas particulares a reduzirem em ao menos 30% as mensalidades dos alunos durante o período de pandemia do coronavírus. A medida poderia provocar demissões e fechamento de muitas escolas.

No documento, eles alertam sobre a necessidade de se respeitar a livre negociação e, caso a proposta seja aprovada, irá provocar efeitos “catastróficas para o futuro da Educação em nosso estado, que tanto tem colaborado para o desenvolvimento de nosso país”, escrevem os representantes das instituições de ensino.

Eles explicam que o maior custo das escolas refere-se à folha de pagamento que consome até 73% da receita líquida. Já os custos operacionais atingem 20% da receita. “Durante toda a crise, que vai ser longa, as escolas terão que arcar com o inevitável aumento da inadimplência, que facilmente atingirá em muitas escolas também até 30%”, alertam as escolas.

A dona da escola “Meu Sonho”, Telma Matos, explica que o corte vai resultar em fechamento de vagas. “Nosso maior custo é a folha de pagamento. Então, a consequência é a demissão”, ressaltou ela.

O projeto

Na justificativa ao seu projeto, o deputado estadual Rodrigo Gambale Vieira (PSL), diz que a medida é necessário devido à suspensão das aulas presenciais no Estado de São Paulo devido à quarentena, que começou no último dia 23 de março. Para ele, houve uma redução das despesas operacionais das escolas como limpeza, segurança, energia, entre outras. Por outro lado, o deputado diz que os pais de alunos tiveram os seus rendimentos afetados negativamente e podem ter dificuldades em pagar os compromissos. ” sendo justo, portanto, que tenham as suas mensalidades reduzidas”, escreve Vieira no projeto.

Campinas tem 349 escolas privadas.

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

publicidade
publicidade
publicidade