menu 25-anos
facebook
publicidade
publicidade
Compartilhe
Notícias

Família contesta fala de Jonas sobre morte de médico; prefeito pede desculpas

Prefeito disse que médico morreu após dar-se alta hospitalar

Blog da Rose

17h19 - 31/03/2020

Atualizado há 2 meses

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

A família do médico Juan Uchôa, que morreu nesta segunda-feira (30/03) por suspeita de covid-19, contestou a fala do prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), que, durante uma live em suas redes sociais, disse que o médico teria assinado um documento dando alta para si mesmo e que acabou morrendo em casa. Há suspeita de que Uchôa tenha morrido da covid-19.

Em nota, a família nega e diz que o médico morreu na UTI do Hospital Samaritano, De acordo com eles, o médico sentiu dores de estômago e foi até a unidade hospitalar. Após exames, ficou constatado uma pneumonia leve. Ele foi medicado e recebeu alta;

No sábado (21/03), ele sentiu dificuldades para respirar e voltou ao Samaritano, quando foi internado na UTI até falecer.

A família diz que foi colhido material para o teste de covid-19, mas ainda não saiu nenhum resultado.

Para a família, a fala do prefeito foi leviana e desrespeitosa.

E Jonas Donizette (PSB) abriu a live desta terça-feira (31/03) pedindo desculpas à família.

LEIA A NOTA NA ÍNTEGRA: 

Com profunda indignação tomamos conhecimento da reportagem publicada na data de hoje na qual o Sr Prefeito de Campinas, Jonas Donizette ao mencionar a morte do nosso querido Juan, afirma de forma leviana que “ele assinou um documento autorizando sua alta e acabou perdendo sua vida.”  

A declaração foi proferida de forma leviana, e desrespeitosa, demonstrando o desconhecimento do Sr Prefeito em relação ao caso em questão.  

Ao Sr. Jonas na condição de Prefeito, cabe a nobre missão de informar a sociedade, averiguando a veracidade das informações. Como homem público, suas palavras têm peso e deveriam estar revestidas de responsabilidade. E neste caso, com mais humanidade e respeito.  

Sua infeliz declaração, além de atingir toda sociedade pelo momento em que vivemos, nos atingiu diretamente, pelo desmerecimento que tentou, de certa forma, impor à figura do Juan, como que o responsabilizando pela sua morte. Em um momento de profunda dor, criou-se na verdade uma situação desconfortável para nossa família, para os amigos que com ele conviveram e, principalmente para o legado que ele deixou, como médico respeitado que sempre foi.  

Não queremos entrar no mérito da pandemia que se alastra, mas importante se faz nesse momento, expressarmos a verdade dos fatos. Na sexta-feira dia 20 de março após sentir dores no estômago, Juan passou pelo Pronto Socorro, oportunidade em que foi realizado o exame de raio-x e constatada leve pneumonia. Após as devidas providências médicas, foi dispensado e retornou à sua casa. Somente no sábado dia 21 de março, após sentir grande dificuldade para respirar deu entrada no hospital Samaritano de Campinas, no qual esteve internado na Unidade de Tratamento Intensivo até esta madrugada quando veio a falecer. Esclarecemos ainda, que em virtude de todas as evidências clinicas, foi realizado o exame PCR para confirmar a suspeita do Covid-19, resultado que aguardamos até o momento.  

Permeado pela grande responsabilidade que sua profissão lhe impunha, em momento algum assinou qualquer documento atestando sua alta médica. Juan Uchoa foi um homem do bem, um profissional competente e um ser humano de coração ímpar. Um cidadão que merece ser lembrado com respeito e admiração.

Família Uchôa

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

publicidade
publicidade
publicidade