menu 25-anos
facebook
publicidade
publicidade
Compartilhe
Notícias

Governo de SP prevê suspender cirurgias eletivas para reservar leitos para pacientes do coronavírus

Medida vale para hospitais públicos e privados

Band Mais

11h48 - 12/03/2020

Atualizado há 24 dias

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O infectologista David Uip, coordenador de um comitê de contingenciamento para enfrentar a doença no estado de São Paulo, disse nesta quinta-feira (12/03) que as cirurgias eletivas devem ser canceladas para atender pacientes doentes do Covid-19. A medida será tomada de acordo com a demanda. Hoje, segundo ele, São Paulo está pronto para instalar 1 mi leitos imediatamente.

A medida, segundo ele, vale tanto para os hospitais públicos quanto privados do Estado de São Paulo.

Mas a instalação de novos leitos é gradativa.

“Estado está pronto para qualquer nível de enfrentamento da doença. Pronto para adicionar mais mil leitos de UTI´s. O Ministério da Saúde tem de repassar recursos de custeio”

David Uip, coordenador de um comitê de contingenciamento

Segundo ele, o Estado trabalha com cenários de contaminação de 1% a 10% da população do estado. Ele diz que São Paulo tem 46 milhões de habitantes, sendo que 60% da população depende exclusivamente do SUS (Sistema Único de Saúde). “O Estado tem 100 mil leitos, levando em conta os hospitais privadas e beneficentes”, diz ele, que acrescentou que o estado tem 7,2 mil leitos de UTI.

Pessoas vulneráveis

Uip recomendou ainda que pacientes com mais de 55 anos devem evitar participar de aglomeração.

Eventos

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse que, por enquanto, não vai cancelar nenhum evento e nem suspender as aulas no estado. “As decisões do Estado de São Paulo não são políticas, mas sanitárias”, disse o tucano.

O Estado tem 46 casos confirmados.

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

publicidade
publicidade
publicidade