publicidade
publicidade
Compartilhe
Esporte

Hamilton exalta protestos nos EUA, mas descarta boicote ao GP da Bélgica

"Acho incrível o que está acontecendo nos Estados Unidos com tanta gente", destacou o hexacampeão

Esportes

19h18 - 28/08/2020

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

Líder do movimento antirracista na Fómula 1, Lewis Hamilton comentou nesta quinta-feira, 27, sobre os protestos realizados por atletas nos Estados Unidos após o ataque sofrido por Jacob Blake, um homem negro, por um policial branco. Na quarta, partidas da NBA, WNBA, MLB e MLS foram canceladas.

O hexacampeão exaltou a atitude tomada pelos atletas e equipes das ligas americanas, mas descartou aderir ao movimento e confirmou presença no GP da Bélgica, neste domingo.

“O que eu vou fazer? Não sei se fazer algo aqui na Bélgica teria o mesmo efeito, eu não estou nos Estados Unidos. Não sei se faremos algo especial para a corrida. Mas precisamos conversar para ver o que fazer para aumentar a conscientização sobre essa batalha. Acho incrível o que está acontecendo nos Estados Unidos com tanta gente. No meio esportivo, comentaristas. Há muita gente promovendo mudanças e é uma pena que não haja uma reação importante. Como esporte, devemos estar unidos. Estou ao lado deles”, afirmou.

O piloto da Mercedes destacou também que seguirá dialogando com os organizadores da categoria para ampliar as ações de conscientização sobre o tema.

“Ainda vou tentar falar com a Fórmula 1 para ver o que mais poderemos fazer para continuar aumentando a conscientização, seguir ajudando a impulsionar (os protestos). Naturalmente, acho que, como esporte, todos nós precisamos estar alinhados, todos nós precisamos apoiar uns aos outros”, finalizou.

0 Comentário

publicidade
publicidade
Mais notícias