menu 25-anos
facebook
publicidade
publicidade
Compartilhe
Notícias

Homem transplantado, de grupo de risco, é primeiro óbito de suspeito do novo coronavírus em Sorocaba

A confirmação de que a causa da morte foi pelo Covid19 se dará após exame do Instituto Adolfo Lutz

Band Mais

18h08 - 22/03/2020

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

Neste domingo (22/03), a  Secretaria da Saúde de Sorocaba recebeu a notificação de óbito de um paciente suspeito do novo coronavírus. A confirmação de que a causa da morte foi pelo Covid19 se dará após exame do Instituto Adolfo Lutz. A vítima trata-se de um homem de 48 anos, transplantado renal. A cidade passou de 84 para 98 casos suspeitos de sábado (21) para este domingo. Do total de suspeitos, nove encontram-se internados em hospitais e quatro aguardam internação e estão em UPHs do município.

Segundo informações da Secretaria de Comunicação (Secom), a Secretaria da Saúde esclarece que os exames são realizados pelo órgão estadual Instituto Adolfo Lutz (IAL), responsável por descartar e confirmar casos de coronavírus de todo o Estado de São Paulo. Ou seja, a Prefeitura não possui gestão e nem governabilidade pela demora dos exames em suspeitos da doença. O órgão estadual não tem fornecido essa previsão de resultados aos municípios em razão da elevada demanda decorrente da epidemia que o Estado enfrenta.

Ainda, de acordo com informações da Secom, desde a última quinta-feira (19), conforme determinação da Secretaria Estadual da Saúde, somente serão solicitados exames do novo coronavírus para pacientes suspeitos internados graves ou críticos e profissionais da área de saúde que apresentem sintomas de síndrome gripal. O teste diagnóstico não deverá ser realizado em pessoas assintomáticas. Essas medidas buscam otimizar o bom uso desse recurso, cujos insumos estão restritos no mundo devido à situação pandêmica.

Neste momento são considerados como suspeitos todos os pacientes que apresentarem características de síndrome gripal. Ou seja, pessoa com febre e sintomas respiratórios, sendo que a febre pode não estar presente em alguns, como pacientes jovens e idosos, ou que esteja fazendo uso de medicamento antitérmico. A orientação é que procurem uma unidade de saúde somente pessoas que percebam o agravamento dos sintomas, como falta de ar. Em situações menos complexas, é recomendado o isolamento domiciliar por até 14 dias.

Cida Haddad/ Eko Digital

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

publicidade
publicidade
publicidade