menu 25-anos
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

Hospital de Sumaré fecha ala de pediatria e oftalmologia após corte de verbas do governo de SP

Governo reduziu orçamento em R$ 8,7 milhões

Rose Guglielminetti, Blog da Rose

15h24 - 07/01/2021

Atualizado há 11 dias

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O Hospital Estadual de Sumaré fechou nesta quinta-feira (07/01) a enfermaria pediátrica e a ala oftalmológica da unidade hospitalar. A medida é resultado de um corte de verbas de R$ 8,7 milhões/ano promovido pelo governador João Doria (PSDB). O Hospital de Piracicaba também teve os serviços de oftalmologia afetados devido a uma redução de R$ 3,5 millhões anuais.

As AMES (Ambulatório Médico de Especialidades) da região de Campinas também irão sobrer cortes que vão de 8% a 10%, totalizando R$ 7,3 milhões ao ano. Serão afetadas unidades de cidades como Limeira, Santa Bárbara D´Oeste e Amparo, entre outras. No total, o corte entre hospitais e AMES será de R$ 19,1 milhões.

Segundo a decisão dos profissionais, a decisão é lamentável porque prejudica o acesso da população à saúde gratuita. No caso da oftalmologia, os servidores alertam que alguns pacientes correm o risco de perder a visão devido a problemas crônicos. Em Sumaré, por exemplo, eram oferecidas aos pacientes cirurgias de catarata, plástica, glaucoma e inclusive de retina.

Só em Sumaré, serão demitidos cerca de 100 profissionais.

Outro lado

Em nota, a Unicamp, que faz a gestão de Sumaré, disse está cumprindo a determinação de corte de 6,5% o que implicou no fechamento das unidades, além da suspensão de consultas e exames de imagens (tomografias, ressonâncias e endoscopias).

De acordo com a direção do hospital, os pacientes que estavam agendados serão cancelados e redirecionados para a Diretoria Regional de Saúde (DRS-7) reprogramar em outra unidade de saúde. Já os pacientes operados continuam o pós-operatório e retorno neste mês de janeiro.

Ja a Secretaria de Saúde estadual informou que a assitência à população está garantida.

Informou que na enfermaria pediátrica há uma ociosidade. ” A ocupação chegou a ser de apenas 45% na enfermaria, com uma demanda predominantemente de média complexidade que pode ser absorvida pela rede primária de saúde, sendo prerrogativa dos municípios fortalecê-la. As UTIs Pediátrica e Neonatal serão mantidas”, informou.

Informou ainda que os procedimentos eletivos na área de oftalmologia contam com serviços de referência nos AMEs de Campinas, Piracicaba e Santa Bárbara D’Oeste.

Já em relação ao Hospital Regional de Piracicaba disse que não haverá nenhuma alteração porque “o seu foco continua sendo a assistência aos casos graves de coronavírus”.

A Prefeitura de Sumaré informou que não foi informada sobre a suspensão dos serviços.

8 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

 
  • Gabriela Barros disse:

    Como trabalhadora da Unicamp, fiquei indignada com a notícia ontem quando soube. Principalmente sabendo que o HES é gerido pela Unicamp e tão sucateado. Estive lá poucas vezes, mas a diferença entre os hospitais da Unicamp é notória. E pior: a Unicamp está construindo um hospital de Otorrinolaringologia aqui no Campus, enorme! Como tem verba para um novo hospital, de uma especialidade que já é atendida no HC, portanto será ampliada e não tem como manter unidades tão essenciais no HES? Para onde serão encaminhados os pacientes? Hortolândia? Ou a Unicamp vai “abraçar” mais esse desmonte a custo da Saúde dos trabalhadores que estão aqui sobrecarregados sob esse discurso de crise???

    7
    2

relacionadas

publicidade
publicidade
publicidade