menu
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Esporte

Japão recusa vacina chinesa para seus atletas

O país não foi consultado pelo COI sobre o imunizante da China e o mesmo também tem aprovação para utilização em território japonês

Esportes

22h27 - 13/03/2021

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O Japão recusou nesta sexta-feira, 12, a oferta do Comitê Olímpico Internacional (COI) para utilizar a vacina chinesa na imunização de seus atletas contra a covid-19 para os Jogos de Tóquio. De acordo com Tamayo Marukawa, ministra da Olimpíada, o país não foi consultado pelo COI sobre o imunizante da China e o mesmo também tem aprovação para utilização em território japonês.

“Não estou ciente se alguma empresa solicitou a aprovação de vacinas chinesas em nosso país”, disse Marukawa em entrevista coletiva. “Acho que será uma decisão para os países onde [as vacinas chinesas] foram aprovadas”, afirmou ela ao ser questionada se os atletas deveriam ser vacinados e deixando uma indicação de que os esportistas japoneses não tomariam a vacina da China.

Marukawa também destacou que o Japão continua trabalhando para realizar a Olimpíada em segurança para todos os envolvidos. “Estamos tomando medidas abrangentes contra doenças infecciosas, incluindo gerenciamento de atividades e testes para que as pessoas possam se sentir seguras em participar dos Jogos de Tóquio, mesmo que não tenham tomado vacina”, declarou ela.

COI e China
Na quinta-feira, o presidente do COI, Thomas Bach, informou que China havia oferecido imunizantes para todos os atletas olímpicos e paralímpicos que vão competir nos Jogos de Tóquio e na Olimpíada de Inverno de Pequim, em 2022.

“O COI recebeu uma oferta gentil do Comitê Olímpico da China, que ofereceu vacinas não só para os atletas olímpicos dos Jogos de Inverno de Pequim-2022, mas também para os de Tóquio-2020. Essa cooperação com o COI para disponibilizar as doses poderá ser de duas formas: via colaboração de parceiros internacionais ou em países que onde já haja acordos de fornecimento de vacina com o governo chinês”, explicou o dirigente.

Bach ainda disse que o COI vai arcar com doses para a população dos países que fizerem parte de seu programa de vacinação, para cada dose comprada para um atleta, a entidade irá disponibilizar duas doses extras para serem utilizadas de acordo com a necessidade local.

Em meio a rumores de cancelamento da Olimpíada, já adiada em um ano por causa da pandemia do novo coronavírus, as vacinas chinesas podem ser uma luz no fim do túnel para atletas do mundo todo.

0 Comentário

publicidade
publicidade
publicidade
Mais notícias