menu 25-anos
facebook
publicidade
publicidade
Compartilhe

Jonas manda para a Câmara projeto que cria lei para enfrentar mudança do clima

Pela proposta, Campinas se compromete a reduzir em 32% a emissão de gases de efeito estufa no prazo de 40 anos

Band Mais

06h31 - 08/01/2020

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette, encaminhou para a Câmara projeto de lei que institui a Política Municipal de Enfrentamento dos Impactos da Mudança do Clima e da Poluição Atmosférica de Campinas. A proposta quer contribuir para a redução dos impactos do aumento dos gases de efeito estufa (GEE) na atmosfera.

O projeto de lei segue convenções, acordos e tratados internacionais, além das legislações estadual e federal sobre o clima. Com o PL, Campinas se compromete a reduzir em 32% a emissão de gases de efeito estufa no prazo de 40 anos. Com uma política municipal, Campinas se capacita para buscar recursos de fundos nacionais e internacionais, e financiamentos ligados a ações ambientais, para desenvolvimento sustentável.

Inventário

O prefeito explicou que o primeiro passo para a criação da Política Municipal de Enfrentamento dos Impactos da Mudança do Clima e da Poluição foi o Inventário de Emissão de Gases de Efeito Estufa e Poluentes Atmosféricos da RMC, lançado em 10 de maio de 2019. O inventário, custeado por Campinas para toda a região metropolitana, dá um panorama de como está hoje a qualidade de ar.

No caso de Campinas, essa poluição se dá principalmente por causa dos veículos: 70,4% das emissões de gases de efeito estufa vem do transporte, tanto individual quanto coletivo (de cargas e aeroviário). Por isso, o estímulo aos ônibus elétricos, já em circulação no transporte público. A previsão é que se atinja 404 ônibus elétricos em circulação ao longo do período da nova concessão do transporte público. Atualmente, 15 ônibus elétricos já circulam no município.

A partir dos resultados do inventário, foi possível propor uma Política de Redução das Emissões em Campinas. O monitoramento das principais fontes de emissão e de sequestro dos gases de efeito estufa identificou os emissores e apontou metas.

“São duas maneiras de trabalhar: primeiro aperfeiçoando com o uso da tecnologia, como é o caso da nova licitação de ônibus, que prevê mais ônibus elétricos e não poluentes na região central. E segundo, com o plantio de mais áreas verdes para, com isso, trazer uma melhor qualidade de vida para a população”, apontou o prefeito.

Jonas Donizette citou ainda o Plano Cicloviário, que prevê implantação de 180 km de ciclovias. Já está em execução pela Emdec, o Plano visa estimular o transporte não motorizado em pequenos deslocamentos dentro dos bairros da cidade.

Campinas possui uma média de 87 metros quadrados de área verde por habitante, acima dos 12 m2/habitante preconizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Também foram criados na gestão atual o Parque Natural do distrito do Campo Grande e o Parque Dom Bosco, no distrito do Ouro Verde. Desde 2013, já foram revitalizadas mais de 250 áreas verdes em Campinas, além do investimento na criação de 49 parques lineares. A meta é aumentar ainda mais as áreas verdes até 2026.

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

relacionadas

publicidade
publicidade
publicidade