publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

Campinas recebe Coronavac e começa vacinar funcionários da Saúde às 10h

Doses serão disponibilizadas para as unidades públicas e privadas a partir desta quinta-feira; haverá controle por meio de nome, CPF e número de matrícula

Zezé de Lima

17h46 - 20/01/2021

Atualizado há 1 mês

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

Apesar de não constar da lista do Estado dos municípios que receberiam a vacina amanhã, Campinas já conta com 24.900 doses da Coronavac vindas do Instituto Butantan. O local onde as doses estão armazenadas é mantido em sigilo por questões de segurança. Mas às 10h, na sede administrativa da Rede Mário Gatti, começa a vacinação dos profissionais de saúde municipais que estão na linha de frente no combate à covid-19, com a presença do prefeito Dario Saadi.

As doses foram acondicionadas tecnicamente e serão disponibilizadas para as unidades públicas e privadas já a partir desta quinta-feira. “Haverá controle por meio de nome, CPF, número de matrícula, função, local de trabalho e assinatura, além do endosso do responsável pela instituição”, disse o secretário municipal de Saúde, Lair Zambon. Saadi, afirmou que é um momento histórico para Campinas e um motivo de esperança para controlar a pandemia.

A dúvida sobre a entrega das vacinas para Campinas foi porque ontem houve mais uma entrega de 125 mil doses para 75 destinos. Campinas não estava relacionada. E anteontem, terça-feira, também ficou de fora, quando foram distribuídas outras 305 mil, apesar da expectativa de que as doses também viriam para a cidade.

Na lista do governo do Estado constavam apenas cidades das regiões de Sorocaba, Vale do Ribeira, Araraquara, São José do Rio Preto, Barretos, Vale do Paraíba e Litoral Norte, Bauru, Ribeirão Preto e Franca. Ontem, os 28 contemplados haviam os municípios das regiões da Grande São Paulo, Sorocaba, Vale do Paraíba e Marília. O governo do estado garante que no decorrer desta semana, as 645 cidades receberão seus quantitativos iniciais.

Neste primeiro momento, profissionais de saúde, idosos com mais de 60 anos e pessoas com deficiência com mais de 18 anos vivendo em instituições de longa permanência, indígenas aldeados e quilombolas receberão as doses, com o apoio de equipes da atenção primária do SUS, segundo as estratégias adequadas ao cenário local. A inclusão de novos grupos populacionais será norteada pelo PNI (Programa Nacional de Imunizações), do Ministério da Saúde.

A divisão das grades foi baseada no quantitativo proporcional de vacinas previsto para São Paulo conforme o PNI. O total de 1,5 milhão de doses é a referência para trabalhadores de saúde baseado na última campanha de vacinação contra a gripe. Esta mesma referência é utilizada para cálculo das grades regionais e para cada cidade.

A campanha de imunização contra a COVID-19 em São Paulo será desenvolvida segundo a disponibilidade das remessas do órgão federal. À medida que o Ministério da Saúde viabilizar mais doses, as novas etapas do cronograma e públicos-alvo da campanha de vacinação contra a covid-19 serão divulgadas pelo Governo de São Paulo.

0 Comentário

publicidade
publicidade
Mais notícias