menu 25-anos
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

Manifestantes fazem “Ato-performance” em defesa do SUS e dos profissionais de Saúde de Campinas

Grupo defende políticas de isolamento social para reduzir a disseminação do coronavírus

Rose Guglielminetti, Blog da Rose

11h21 - 29/06/2020

Atualizado há 1 mês

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

Um grupo fez um “ato-performance” ontem (28/06), no Centro de Campinas, em defesa do SUS (Sistema Único de Saúde) e também dos profissionais de saúde que trabalham na linha de frente no combate ao coronavírus.

Eles chamam a atenção para o aumento de casos e de mortes pela covid-19 em Campinas, especialmente nas regiões periféricas da cidade. Campinas tem hoje 296 mortes e 7.848 casos confirmados da doença.

Faixa foi colocada em frente ao Paço Municipal

Os manifestantes também criticaram a ausência de políticas públicas que garantam um um isolamento social para combater a disseminação do vírus.

“O estado de São Paulo e o município de Campinas, na contramão da política genocida do governo federal, investiram no isolamento social precocemente, o que retardou a escalada de casos no principio, mas nunca alcançou o índice esperado, ficando abaixo de 50% na maior parte dos dias. Isso culmina na dramática situação de sobrecarga de leitos, tendo os leitos SUS municipais atingido 100% de ocupação por cerca de duas semanas”, escreveram os manifestantes.

Eles continuam: “Entretanto, ao invés de apostar em estratégias mais rigorosas de garantia do isolamento – como o fecha-tudo ou lockdown – vimos o governo municipal flexibilizar ainda mais o isolamento por meio da reabertura do comércio não essencial, templos e igrejas no município por duas semanas enquanto a região passava por exorbitante aumento de casos.”

Essas decisões, segundo os manifestantes , prejudicam ainda mais os profissionais de saúde. “em condições precarizadas, por vezes sem garantia de EPI, em jornadas exaustivas seja pela falta de profissionais suficientes ou pela sobrecarga na demanda de atendimento, e lidando com a falta de estrutura necessária para prover o atendimento adequado. Campinas é município com grande número de profissionais pertencentes ao grupo de risco e conta, até o presente momento, com seis óbitos de profissionais por covid-19, segundo levantamento oficial. É necessário que condições dignas de trabalho sejam garantidas, com mais contratação de profissionais, garantia de EPIs, ampliação da estrutura e medidas de contenção pré-hospitalar da pandemia.”

O protesto além de criticar os governos João Doria (PSDB), Jonas Donizette (PSB) também atinge o Jair Bolsonaro.

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

 
publicidade
publicidade
publicidade