menu 25-anos
facebook
publicidade
publicidade
Compartilhe

Prefeitura de Sorocaba

Notícias

Ministério Público pede liminar obrigando Sorocaba a cumprir medidas de isolamento

Prefeitura informa que respondeu na quinta-feira todos os questionamentos sobre o assunto ao Ministério Público

Band Mais

17h38 - 24/04/2020

Atualizado há 1 mês

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

A Promotoria de Justiça de Sorocaba ajuizou ação civil pública pedindo a concessão de liminar derrubando os efeitos de deliberação do Comitê de Avaliação e Combate ao Coronavírus do município, que liberou o funcionamento de serviços não essenciais mesmo durante a pandemia de Covid-19.

Segundo informações do Ministério Público, na petição inicial, a promotora Cristina Palma requer ainda que o Judiciário obrigue o Executivo local a adotar todas as medidas de isolamento determinadas em decretos do governo estadual. 

De acordo com informações do Ministério Público, a decisão do Comitê de relaxar as regras da quarentena afronta não somente os decretos estaduais, mas também decisão do próprio município, que reconheceu o estado de calamidade pública, e suspendeu e/ou reduziu inúmeros serviços públicos e privados, de modo a evitar o atendimento presencial e aglomerações que possibilitassem a propagação do vírus. O relaxamento do isolamento contraria ainda recomendação do próprio Ministério Público, expedida pela Promotoria de Justiça.

Na ação, a promotora alega que “o comitê, ao permitir, de maneira irresponsável, a abertura de salões, escritórios e lojas de armarinhos, não levou em conta nem considerou a maneira como ocorreria a fiscalização, se o município possui fiscais em número necessário para adentrar em cada loja para verificar qual tipo de material está vendendo, se é de armarinho ou outro tipo de mercadoria, nem justificou se o Município tem condições de fiscalizar cada barbearia ou salão de beleza, ‘às portas fechadas’ , para verificar quantas pessoas há em seu interior, pois teria que tirar a força de trabalho de profissionais para fiscalizar as atividades verdadeiramente essenciais, como as de alimentação, medicamentos, de saúde, dentre as definidas no decreto estadual”.

Respondeu questionamentos

A Prefeitura de Sorocaba informa que respondeu nesta quinta-feira (23) todos os questionamentos e dúvidas acerca do assunto ao Ministério Público, dentro do prazo estabelecido. Em relação a eventual ação civil pública, a Prefeitura de Sorocaba informa que ainda não foi oficializada, mas ressalta que ambos os decretos publicados na última quarta-feira são expressos quanto às restrições, enquanto que as deliberações esclarecem a forma de funcionamento de serviços.

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

publicidade
publicidade
publicidade