menu 25-anos
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

MP faz operação contra fraude na Saúde em Rio Claro; apreende dinheiro e prefeito é afastado

Promotoria aponta compras ilegais no valor de R$ 4 milhões

Rose Guglielminetti, Blog da Rose

11h37 - 02/12/2020

Atualizado há 1 mês

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O Ministério Público cumpre nesta quarta-feira (02/2), operação para cumprimentos de mandados de busca e apreensão em Rio Claro, Praia Grande e São Vicente, diante de indícios dos crimes de associação criminosa, fraude à licitação, falsidade ideológica, peculato, corrupção ativa e passiva, entre outros.

Em Rio Claro, a investigação apontou ilegalidades na compra de compra de EPIs em razão da pandemia da covid 19, num total de R$ 4 milhões. Durante as buscas foram apreendidas duas armas de fogo e munições com o prefeito de Rio Claro, Juninho da Padaria (DEM), além de R$ 10 mil em dinheiro . Além disso, a Justiça afastou o prefeito do cargo.

De acordo com a Promotoria, a compra dos equipamentos foi feita pelo gabinete do prefeito, que exerceu o domínio e o controle durante todo o processo aquisitivo. A empresa contratada foi constituída em nome de “laranja”, e apenas em fevereiro de 2020. Além disso, há indícios de superfaturamento.

A operação contou com buscas e apreensões nas residências do prefeito de Rio Claro, João Teixeira Júnior, o Juninho da Padaria (DEM), do chefe de gabinete, Silvio Aparecido Martins, e do secretário de Economia e Finanças, Gilmar Dietrich, e nos respectivos setores da prefeitura. Os três foram suspensos liminarmente do exercício das funções.

Também ocorreram buscas nas cidades de Praia Grande e São Vicente, sede da empresa que contratou com o poder público.

O Tribunal de Justiça decretou a prisão temporária do empresário por cinco dias.

Outro lado

Em nota, a assessoria de imprensa da Prefeitura de Rio Claro negou as irregularidades. “O processo de compra dos EPIs foi realizado integralmente dentro da legalidade, conforme comprovam os documentos entregues pelo prefeito Juninho ao Ministério Público, OAB, Câmara Municipal e imprensa, em julho. A prefeitura de Rio Claro esclarece ainda que os EPIs que foram comprados foram todos recebidos pelo município, passaram pela aprovação da Vigilância Sanitária e estão sendo utilizados pelos profissionais de saúde. Os equipamentos foram vistoriados in loco pelos promotores do Gaeco no dia de hoje. Até as 17 horas desta quarta-feira (2 dezembro), o município não havia recebido comunicação oficial sobre o afastamento do prefeito Juninho”.

Com informações de Letícia Alves

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

 

relacionadas

publicidade
publicidade
publicidade
Mais notícias