menu 25-anos
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

MP pede à Justiça saída de secretário de Cultura por perseguição política envolvendo vereador

Mãe de vereador, que é funconária efetiva, foi transferida de setor após parlamentar pedir instauração de CPI na Câmara

Rose Guglielminetti, Blog da Rose

11h13 - 12/10/2020

Atualizado há 12 dias

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O promotor Angelo Carvalhaes protocolou ação na Justiça em que pede o afastamento do secretário de Cultura, Ney Carrasco do cargo por ato de improbidade administrativa. De acordo com a Promotoria, ele cometeu dolo por ter afastado do cargo uma parente do vereador Nelson Hossri (PSD), após o parlamentar ter apresentado pedido de CPI da Guarda Municipal. Hossri entrou recorreu ao MP por entender que estava sofrendo perseguição política devido a sua atuação política de oposição ao governo jonista.

O promotor Angelo Carvalhaes pede ainda a cassação dos direitos políticos por um período entre três e cinco anos e o pagamento de multa de 100 vezes o valor do salário do secretário, que se fosse condenado hoje, daria cerca de R$ 2,3 milhões.

Segundo o parlamentar, sua mãe, que é servidora efetiva há 20 anos, foi afastada do setor em que trabalhava sem justificativa.

Na denúncia, o vereador anexou uma conversa gravada entre essa servidora e o secretário, na qual Carrasco admite que não concorda com a transferência para um setor da Cultura que funciona na Vila Padre Anchieta.

Vereador foi à Justiça após mãe ser punida por ele ter pedido uma CPI contra administração de Jonas Donizette

“Não é algo assim que, que me agrade tanto, tá? Eu gosto de…, não sei se você sabe, ‘pra’ ser sincero gosto muito de você. Eu detesto ver essas coisas acontecer, tá? Gosto muito de você, eu não queria, não queria estar nessa situação, tá?” (…)Eu não tenho certeza, mas imagino que seja o que você imagina também, né?

Ney Carrasco, secretário de Cultur

Para o promotor, houve dolo na prática de Carrasco. “visando o fim particular e obscuro (prejudicar a servidora, exclusivimente por ser mãe de um vereador da oposição que, no dia anterior havia apresentado requerimento de instalação de instauração de uma CPI contra o prefeito Jonas Donizette PSB), além de deliberamente deixar de cumprir o requisito do “motivo” que deve fazer parte do ato adminitrativo”, escreveu Carvalhaes.

Hossri disse que o secretário deve sair do cargo por abuso de autoridade e incompetência.

Outro lado

Em nota, a Prefeitura de Campinas informou que ” vai apresentar manifestação defendendo a legalidade dos atos do secretário.”

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

 
publicidade
publicidade
publicidade