menu 25-anos
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

MP pede cassação do registro da candidatura de Dário uso da máquina pública

Presidente da Cohab utilizou e-mail da autarquia pública para convidar servidores para uma reunião com o candidato a prefeito

Rose Guglielminetti, Blog da Rose

07h39 - 14/11/2020

Atualizado há 19 dias

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

A promotora eleitoral Simone Rodrigues Horta Gomes ofereceu nesta sexta-feira (13/11) denúncia à Justiça em que pede a cassação do registro das candidaturas de Dario Saadi (Republicanos) e do seu vice, Wanderley Almeida (PSB), por uso da máquina pública.

A denúncia foi feita pelo candidato a vereador Rafael Bressane que demonstrou o uso de e-mail da autarquia pública pelo presidente da Cohab, Vinicius Riverete, convidando servidores para uma reunião na última terça-feira, às 17h30, na sede do PSB, em Campinas.

O conteúdo do e-mail foi anexado à denúncia. “Prezados (…) o candidato a prefeito, Dário Saadi, fará uma reunião para apresentar seus projetos e sanar qualquer tipo de dúvida acerca da candidatura. Ressalto que será um bate-papo lhe trazendo uma oportunidade de questioná-lo, conhecê-lo e adquirir conhecimento político sobre o futuro próximo da nossa cidade.”

Segundo a promotora, o envio do e-mail no horário de expediente configura uso de uso dos bens móveis, software e hardware, e o imóvel da Administração Pública indireta, o que é proibido. “Ademais, deve-se salientar que a conduta do representado Vinicius Issa Lima Riverete ao enviar e-mail institucional durante o expediente, configura uso de serviços público para campanha eleitoral do representado Dario Jorge Giolo Saadi”.

Esse é o segundo pedido de cassação do registro sofrido por Dário. O primeiro é por compra de votos. Ele ofereceu exames gratuitos num evento em outubro. Ele nega campanha eleitoral e diz que ajuda a comunidade há 20 anos.

Outro lado

Em nota, o advogado Marcelo Pelegrini, que faz a defesa da campanha de Dário Saadi, informou que “não há qualquer relação jurídica da campanha da Coligação Prontos pra Campinas para com os atos das entidades da administração direta e indireta. Esse pretenso evento nunca constou da agenda do candidato. Dário não é responsável pelos atos administrativos das empresas estatais, especialmente realizados a sua revelia.”

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

 

relacionadas

publicidade
publicidade
publicidade