menu 25-anos
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Blog da Rose

MP vai investigar o “sumiço” de R$ 800 mil do caixa da Ceasa e pagamentos indevidos a advogados

Promotora Cristiane Hillal abriu inquérito para apurar os dois casos que teriam trazido prejuízos de R$ 1 mi à empresa pública

Blog da Rose

12h30 - 16/12/2020

Atualizado há 1 mês

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

A promotora Cristiane Hillal vai investigar o “sumiço” de R$ 800 mil da Ceasa ( Centrais de Abastecimento de Campinas) e o pagamento adiantado de cerca de R$ 200 mil de sucumbência (horonários advocatícios) pela empresa a um grupo de advogados em processo que ainda está tramitando. Os casos ocorreram na gestão de Wander Villalba, indicado pelo PSDB na gestão do prefeito Jonas Donizette (PSB).

No primeiro caso, os R$ 800 mil teriam saído do caixa da Ceasa para a compra de bitcoin – moeda digital, utilizada para comprar e vender produtos e serviços pela internet. Após a denúncia do sumiço da verba, uma sindicância foi aberta em novembro de 2019 e tem sido prorrogada sistematicamente sem nenhum resultado. Um BO (Boletim de Ocorrência) foi feito na polícia.

Já quanto ao pagamento antecipado de sucumbência, o blog teve acesso aos memorandos autorizando o pagamento dos valores em relação a processos como, por exemplo, a liberação da Ceasa recolher INSS de 5,8% relativos a terceiros em valores superiores a 20 salários mínimos. O problema é que o recebimento deste honorário só pode ocorrer após o fim do processo, já que é a parte perdedora no processo que é obrigada a arcar com os honorários do advogado da parte vencedora, o que não foi o caso.

No memorando, o advogado Daniel Freire Santini, que foi o responsável pela divisão da verba entre os advogados, escreveu que “registre-se o compromisso de devolução do valor no caso de reversão de insucesso”.

Nesta semana, uma das advogadas que recebeu o dinheiro antecipado propôs devolver o valor integral à empresa. Já os outros dois advogados teriam dito que poderiam pagar a Ceasa, mas em 36 e 40 vezes.

Outro lado

O ex-presidente Wander Villalba disse que Ceasa foi vítima de estelionatários virtuais que resultaram na transferência de R$ 800 mil reais em favor de criminosos. “O fato foi devidamente comunicado à polícia através de BO, lavrado ata notarial junto ao cartório, e entramos com ação judicial para reaver o prejuízo. Conforme provamos, há decisões judiciais favoráveis determinando à instituição financeira custodiante dos recursos a imediata devolução dos valores à Ceasa”, disse ele.

Quanto à sucumbência, ele disse que a autorização “não foi uma decisão isolada, mas sim colegiada da diretoria, apoiada em prévio parecer jurídico.”

O atual presidente da Ceasa, Valter Greve, disse que não comentaria porque as duas denúncias estão sendo investigadas sob sigilo.

Daniel Santini não foi localizado para comentar o assunto.

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

 

relacionadas

publicidade
publicidade
publicidade
Mais notícias