menu 25-anos
facebook
publicidade
publicidade
Compartilhe

Nomeação de Teresinha de Carvalho como presidente do PTB causa polêmica no partido

Vereador Schneider vai deixar a legenda

Rose Guglielminetti, Blog da Rose

19h40 - 06/12/2019

Compartilhe whatsapp facebook linkedin



A nomeação da ex-vereadora Teresinha de Carvalho, pré-candidata a prefeita nas eleições do ano que vem, como presidente da comissão provisória da legenda em Campinas causou polêmica. A confusão é devido à forma como ocorreu a troca no comando da sigla. O ex-presidente Luiz Carlos Pereira, o Luizinho, não foi avisado sobre a substituição.

A mudança gerou muitas conversas no WhatsApp. Num dos grupos, Luizinho deu uma mensagem pacificadora de que sempre procurou fazer o melhor para o partido e disse que “sai com consciência tranquila”. Após o texto, ele deixou o grupo.

O descontentamento pode levar a uma debandada de petebistas. Além de Luizinho que deve deixar o partido, outro que está com as malas prontas é o vereador Jorge Schneider. “Vou deixar a legenda na janela (em março). Não aceito a Teresinha. Ela chegou ontem e já quer mandar”, disse o parlamentar.

Schneider também afirmou que tem outro ponto discordância com Teresinha: o aborto. “Eu fiz uma frente parlamentar contra o aborto e ela tem uma visão diferente”, disse ele.

 

A informação é de que dos 19 pré-candidatos a vereador no pleito do ano que vem, oito deles devem também deixar a legenda.

Outro lado

Teresinha de Carvalho disse que não veio trazer divisão ao partido. “Não queremos que ninguém saia. O PTB está passando por uma reestruturação em todo o Estado de São Paulo para eleger o maior número de vereadores nas cidades”, disse ela.

A ex-vereadora disse que seu objetivo é dar igualdade de condições a todos. “Vamos acabar com a modalidade de candidatos laranjas para elegerem quem está na cabeça. Isso contraria alguns discursos”, ressaltou.

Teresinha disse que ficou surpresa com a atitude de Schneider. E quanto ao aborto ela disse que nunca foi favorável. “O que eu fiz foi montar uma comissão porque era uma pauta da mulher. E o relatório apontou que qualquer política que atentasse contra a lei do aborto é crime e, portanto, não poderia ser permitido. Nunca fiz aborto e nunca defendi”, disse ela.

A mudanças no PTB de Campinas têm sido determinadas pelo manda-chuva da sigla, o deputado estadual Campos Machado.



Vereador Schneider disse que deixa o partido em março de 2020

0 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios.

relacionadas

publicidade
publicidade
publicidade