menu
facebook instagram
publicidade
publicidade
Compartilhe
Esporte

Olimpíadas: favoritos decepcionam no 1º dia da ginástica em Tóquio

Arthur Nory caiu na barra e no solo, e o Brasil ficou de fora da final por equipes nas Olimpíadas de Tóquio

Juliana Caetano, Band Mais

16h43 - 24/07/2021

Compartilhe whatsapp facebook linkedin

O primeiro dia das disputas masculinas da ginástica artística das Olimpíadas em Tóquio foi decepcionante para algumas estrelas. O brasileiro Arthur Nory, que admitiu estar abalado por críticas por racismo em 2015, esteve longe de ser o único favorito a medalha a se frustrar. Em outros aparelhos, campeões mundiais e até um ídolo japonês sofreram quedas, falharam e deixaram as disputas mais cedo do que o esperado.

Ginasta Arthur Nory

Campeão mundial na barra fixa em 2019, Arthur Nory fez uma apresentação com muitas falhas, somou 14,166 e ficou no 12º lugar, fora da final de sua prova. Para piorar, no solo — aparelho em que conquistou o bronze nas Olimpíadas do Rio, em 2016 —, Nory caiu sentado na última acrobacia, e perdeu as chances de disputar a final olímpica da prova e também o individual geral.

Zanetti, Caio Souza e Diogo nas finais

Fora da disputa por equipes, o Brasil tem três atletas na briga por quatro medalhas na ginástica artística masculina nas Olimpíadas de Tóquio. Arthur Zanetti (argolas), Caio Souza (salto e individual geral) e Diogo Soares (individual geral) disputam finais individuais na modalidade.

Caio Souza  – Foto:  Lionel BONAVENTURE / AFP

Principal esperança de medalha do país na modalidade, Arthur Zanetti se classificou com a quinta colocação para a final nas argolas. Na decisão, pode conquistar seu terceiro pódio olímpico na prova, fato inédito, após faturar o ouro em Londres, em 2012, e a prata no Rio, em 2016.

0 Comentário

publicidade
publicidade
publicidade
Mais notícias